domingo, 14 de janeiro de 2007

[Filme] As Bicicletas de Belleville

Assisti essa fantástica animação há alguns dias e resolvi comentar um pouco sobre ela, já que ela não é muito conhecida por aqui, mas é simplesmente genial; um filme obrigatório.






Sinopse: Quando seu neto é sequestrado durante o Tour de France, madame Souza e seu amado cachorro Bruno se unem as trigêmeas de Belleville - um antigo grupo de dança e canto da época de Fred Astaire - para resgatá-lo.
Título: Les Triplettes de Belleville
Site Oficial: http://www.sonyclassics.com/triplets/
Gênero: Animação/Comédia
Duração: 80min.
Origem: França, Bélgica, Canada
Língua: Francês, Português
Estréia - EUA: 26 de Novembro de 2003
Estúdio: France 3 Cinema/ Les Armateurs/ Production Champion/ RGP France/ Vivi Film
Direção: Sylvain Chomet
Roteiro: Sylvain Chomet
Produção: Didier Brunner

Comentários:

Primeiro, gostaria de ressaltar que esse não é um filme para crianças, mas sim para adultos. O humor sutil, com muita ironia é parte fundamental do filme, como podemos ver nas sátiras a estereótipos culturais que surgem durante o longa. Diálogos praticamente inexistem, e os poucos presentes em sua maioria estão em francês, não são legendados e nem precisam: são insignificantes para a história.

O traço da animação é um show a parte: um misto de desenho feito a mão com um pouco de computação gráfica, é inovador e bizarro e, ao mesmo tempo, um colírio para os olhos. A dupla de mafiosos que sempre se desloca lado a lado formando um retângulo, os ciclistas com suas pernas desproporcionais ao resto do corpo, as trigêmeas que parecem bruxas, os habitantes extremamente gordos de Belleville, todos ótimos exemplos do lado bizarro da animação.

O filme já começa bem: em preto e branco vemos as trigêmeas de Belleville cantando a infecciosa canção Belleville Rendez-Vous (você vai levar um bom tempo para conseguir tirar as palavras "Swinging Belleville rendez-vous, Marathon dancing doop dee doop, Vaudou Cancan balais taboo, Au Belleville swinging rendez-vous" da cabeça), enquanto surgem na tela personagens que fazem referências a Fred Astaire (o dançarino devorado pelos próprios sapatos) e Josephine Baker (a dançarina que tem sua tanga de bananas devorada pelos espectadores transformados em macacos) , ambos celebridades da primeira metade do século passado.

As trigêmeas de Belleville.

Logo após somos apresentados a Madame Souza: uma senhora portuguesa, baixinha, simpática e que usa sapatos ortopédicos e seu neto, Champion: um garoto órfão e melancólico. O cachorro, Bruno, e o trem de brinquedo comprados por madame Souza para seu neto não conseguem animar o garoto, tarefa apenas conseguida por um triciclo que desperta a paixão do garoto pelo ciclismo. Paixão essa que logo se torna obsessão.

Champion e Bruno.

Antes de falar um pouco mais sobre a história do filme, falarei sobre o cachorro Bruno, o personagem mais cativante do filme, superando a adorável Madame Souza. Acompanhamos o seu crescimento, entedemos o seu trauma em relação a trens e apreciamos seus sonhos. Arrisco dizer que é o cachorro mais cativante da história do cinema, ao menos para mim. Inclusive ele é bem usado para retratar a questão da rotina e nos mostrar o nível de obsessão do resto da família com o ciclismo.

Continuando a falar sobre o enredo, o ciclismo torna-se o elemento principal da vida da família. Champion começa a treinar para o Tour de France, com Madame Souza como treinadora. Durante o torneio Champion é sequestrado. Com a ajuda do faro apurado de Bruno, a avó parte em busca de seu neto, seguindo de pedalinho até a cidade de Belleville.


A cidade de Belleville é claramente uma referência a Nova Iorque e Sylvain Chomet aproveita para satirizar os americanos. Os habitantes da cidade são obesos e vorazes consumidores de hamburgueres, inclusive a estátua da liberdade, que é obesa e possui um hamburguer no lugar da tocha.

Habitantes de Belleville.

Pouco tempo depois de chegar a cidade, Madame Souza encontra as trigêmeas, não mais na antiga forma, mas ainda na ativa. Agora é a vez de ironizar os franceses: as trigêmeas se alimentam somente de sapos, seja na sopa ou em forma de picolé, referência ao apelido "frog" dado pelos anglo-saxões aos franceses, pelos gostos culinários peculiares destes.
O trio se une então a avó e partem as quatro em busca do neto sequestrado.
As piadas não param por aí, e a história mantém o ritmo, mas acho que já escrevi demais, então para minha análise por aqui.

Allan

Nenhum comentário: