quarta-feira, 4 de abril de 2007

[House] 3x17 "Fetal Position"

Uma fotógrafa famosa de 42 anos, Emma Sloan, tem sua vida em risco devido a complicações com sua gravidez e a equipe precisa agir rápido antes que seja tarde demais para salvar a mãe e o bebê.

Episódio diferente, com uma troca de papéis: quem faz as vezes de House no episódio é Cuddy. Apesar do episódio ter sido muito bom, estou sentindo saudades dos episódios mais tradicionais, devido a grande quantidade de episódios diferentes que tivemos nessa temporada.

Dessa vez não temos muito humor, o episódio é mais sério. Emma apresenta uma doença chamada Maternal Mirror Syndrome, onde a saúde da mãe está ligada a do feto, ou seja: não há problemas com a mãe, seu corpo apenas está refletindo o que está acontecendo com o feto. A equipe não consegue descobrir tudo o que há de errado com o feto e como o fígado da mãe começa a falhar, só resta uma opção: aborto. Porém o feto é jovem demais para sobreviver fora do útero. O problema é que Emma já tentou engravidar outras vezes sem sucesso e ela não quer desistir agora, ainda mais pela sua idade.


É aí que entra a Cuddy. Aos menos atentos, pode parecer que ela está imitando exatamente o comportamento de House, mas não é isso que acontece. House geralmente é racional em sua obcessão, Cuddy é passional, ela se deixa envolver por seus sentimentos, ela se vê no lugar de Emma e luta como se fosse ela quem estava perto de perder o tão sonhado filho.

Tudo bem, alguém pode dizer, House também vai longe demais às vezes, essa foi a vez da Cuddy. Até concordo, mas acho que ela deveria se conter um pouco mais, sendo que ela, ao lado do Wilson, muitas vezes é a responsável por impor limites ao House. Falando em Wilson, gostei de ver ele aconselhando Cuddy a aceitar a idéia do aborto. Ele definitivamente assumiu o posto de "consciência".

House surge com a idéia de abrir o útero e remover o feto para tentar descobrir o que há de errado com ele. O processo é perigoso, mas Emma concorda. Durante a cirurgia temos mais uma amostra da obsessão da Cuddy. Quando a mãe teve uma parada cardíaca ela impede House de cortar o cordão umbilical, a tentativa dele para salvar a mãe, e insistiu em continuar com o desfribilador. No fim deu tudo certo, mas foi sorte.


Dos aspectos extra-caso, acho que vale citar Cameron e Chase e a viagem de House. House passou boa parte do episódio falando que faria uma viagem para no fim rasgar a passagem dada pela Cuddy e ficar em casa. Até que não me surpreendeu, é bem típico do House e seu jeito solitário. Quanto ao casal, Cameron está preocupada por House tê-los descoberto, inclusive acha que House tem algum plano. Chase acha que não é nenhum grande problema. Eu concordo com o Chase. House agiu como se já soubesse o que estava acontecendo, inclusive não demonstrou nenhum tipo de irritação. Acho que o máximo que ele fará é ignorar o que viu. Por fim achei curioso Cuddy dizendo a Cameron que quem acabará magoada é ela e nem Chase. Admito que não consegui acompanhar o raciocínio.


Adendo: A cena em que o feto agarra a mão de House foi baseado em uma foto, tirada em 1999, onde um feto parecia agarrar a mão do médico. O médico que aparece na foto disse que o feto estava sedado e não agarrou, nem teria como agarrar a sua mão.
Para quem quiser saber um pouco mais: http://www.snopes.com/photos/medical/thehand.asp

Foto do episódio.

Foto Original.

Allan

2 comentários:

Comentarista Hélio disse...

Allan, acho que nao ha muito para acompanhar no raciocinio da Cuddy (e do Foreman tb). Todos vêem a Cameron como a sensivel e romantica garota que deve ficar arrasada quando um relacionamento acaba. E como eles nao acreditam que Chase & Cameron nao tem futuro ja imaginam que ela se machucará. Acho que vai ser exatamente o contrario.

Eu gosto de como estao tentando diversificar nessa temporada, quebrando um pouco daquela estrutura rigida da série.

So to achando que o House está muito "cansado" (por falta de uma expressao melhor). Nao sei explicar, mas as vezes fico com a impressao de que o Hugh Laurie está de saco cheio de viver o personagem. O tom ta diferente... Embora ate seja um pouco coerente, ja que esta é a temporada em que houve mais casos pra abalar a frieza do nosso bom doutor.

Comentarista Allan disse...

Pois é, Hélio, eles não estão vendo Cameron e Chase do modo como nós estamos vendo, pelo que vejo também acho que é o Chase quem irá sofrer mais.

Também gosto das tentativas de diversificação, o único detalhe é que já estou ficando com saudades de episódios mais tradicionais.

Sabe que eu também estou achando o House um pouco diferente nessa temporada? Não cheguei a cogitar que talvez Hugh esteja cansado do papel, mas é uma possibilidade.