quarta-feira, 25 de abril de 2007

[House] 3x20 "House Training"

Lupe é uma jovem mulher trazida ao hospital após uma falta de sangue no cérebro, que causou perda temporária da sua habilidade de tomar decisões e exercer vontade própria. Um erro no diagnóstico de Lupe, feito por Foreman, o força a examinar sua própria vida. Enquanto isso, House investiga detalhes da vida amorosa de Wilson, com a ajuda de sua ex-esposa.

Esse foi um episódio centrado no Foreman e, como quase sempre acontece, episódios centrados em um personagem em específico trazem casos mais fracos, que foi exatamente o que aconteceu aqui. Tudo pareceu feito de um modo que levasse a paciente a morrer logo, para assim poder mostrar como Foreman lida com a morte e o erro que cometeu.


Foreman não cometeu o erro sozinho, House aceitou a idéia dele de pronto, mas soou tudo muito artificial. Como eles submetem o paciente a radiação sem ter certeza que ele possui mesmo câncer, ou sem ao menos ter esgotado outras possibilidades antes? House costuma aceitar riscos, mas sempre sendo guiado pela razão, e não foi o que aconteceu aqui. Uma pergunta que fica: por que não deram antibióticos para a paciente? Essa desculpa de que antibióticos não combateriam a doença na ausência de um sistema imune não convenceu. Se isso fosse verdade, pacientes submetidos a radiação que pegassem uma infecção morreriam e pelo que sei, não é isso que acontece.

Com o erro cometido e a situação irreversível, resta a Foreman lidar com tudo isso. Wilson é sempre o primeiro a ser consultado quando um paciente está em fase terminal, acharia isso um pouco incômodo se estivesse na posição dele, mas acho que ele já está acostumado. Foi interessante ver o Foreman, que costuma ser quase tão racional quanto House, mostrando sentimentos e tentando confortar a paciente. A reação dela não foi muito diferente do que seria a minha na mesma situação, nada surpreendente. Até que o Foreman não é tão ruim em confortar os pacientes. Interessante também a comparação entre como House e Foreman encararam o erro. Foreman ficou devastado, House não pareceu nem um pouco abalado.


Trouxeram de volta a família do Foreman nesse episódio, fazia tempo que não falavam neles. Acho interessante a relação entre Foreman e a mãe, devido ao mal de Alzheimer. Deve ser algo complicado uma pessoa que você conhece a vida toda e foi tão importante, como a própria mãe, simplesmente não lembrar de você. Eu não condeno o modo como Foreman age com ela, porque eu agiria assim também. Acho que é válido perguntar se essa pessoa sem a memória do passado poderia mesmo ser considerada a mãe dele, já que para ela é como se o passado não existisse. Essa é uma questão que pode gerar muitos debates e não tem resposta fácil.


Além de Foreman, tivemos a continuação do triângulo House/Cuddy/Wilson que já tinha sido tratado no episódio anterior. E vejam só, o convite para a peça feito por House não foi esquecido: Cuddy recusou. Mas o convite para uma exposição de arte feito por Wilson ela aceitou. Isso obviamente deixou House preocupado e a idéia dele foi conseguir algumas informações sobre Wilson e seu modus operandi de sua ex-esposa. Achei toda essa parte Wilson/Cuddy/House do episódio desnecessária, nem os anagramas conseguiram me fazer rir. E convenhamos, Wilson não fez uma boa escolha quando casou com sua ex.


Acredito que o erro de Foreman terá conseqüências nos episódios futuros, dado a atenção que foi dada a ele nesse episódio, além de Foreman parecer muito abalado. Quem sabe talvez ele seja processado, como aconteceu com Chase. Algo que também me deixa curioso é saber como House vai lidar com seu novo companheiro de casa, Hector. O jeito é esperar para saber.

Allan

2 comentários:

Anônimo disse...

alguem me pode dizer kual a musica ka da neste episodio por favor?!!

Comentarista Allan disse...

"Follow the Leader" do Matthew Ryan.