quarta-feira, 10 de outubro de 2007

[House] 4x03 "97 Seconds"

Um episódio não tão bom essa semana, com pouco humor e muitas histórias paralelas acontecendo ao mesmo tempo, o que é algo que, na minha opinião, não combina com House. O meu medo era que isso fosse acontecer com a série, com o grupo de personagens novos. A impressão que tive é que, felizmente, isso foi só situacional. Espero que eu esteja certo.


Chase e Cameron voltaram no episódio anterior, esse episódio é a vez de Foreman voltar. Não trabalhando no Princenton Plainsboro, como seus antigos colegas, mas sim em Nova Yorque. Vemos Foreman liderando sua própria equipe e discutindo diagnósticos com eles, o que na hora faz nos compará-lo com House. É uma pena que apenas algumas pequenas cenas são dedicadas a Foreman, seria muito interessante um episódio inteiro mostrando como ele lida com os pacientes, onde poderíamos ver se ele é realmente tão diferente de House como prometeu ser. Acredito que não veremos um episódio assim, ao menos não tão cedo, já que Foreman foi demitido por tomar riscos demais. Sem dúvida, o veremos em breve de volta ao Princenton Plainsboro.


Cameron e Chase não apareceram muitos, só deram as caras quando procurados por Amber, uma das candidatas à vaga na equipe de House, para darem dicas e realizarem testes sem que House saiba. Falando em candidatos, esse episódio focou bastante na número 13 e em Amber, que já tínhamos conhecido bem no episódio anterior, mas dessa vez vimos novas facetas dela. 13 se destacou mais pela relação dela com o caso, que comento mais adiante.


Os casos foram dois nesse episódio. O primeiro, que é tratado pelos candidatos e por House, é Thomas Stark, que sofre de uma doença incurável que enfraquece os músculos e é trazido ao hospital depois de desmaiar em um cruzamento movimentado. Ele vive preso a uma cadeira de roas e conta com a ajuda de um cão para cumprir certas tarefas. O segundo, que é tratado só por House, é Mark Allmore, trazido para a hospital depois de um acidente de carro.


Primeiro comento um pouco sobre Allmore. Assim que House o encontra na clínica, ele demonstra um comportamento estranho: ele acerta a tomada da sala com uma faca e é eletrocutado. Allmore diz que seu comportamento não é suicida, ele fez isso porque quis ter novamente uma experiência extra corporal, como teve no acidente, em que ficou 97 segundos morto. House de pronto explica que a experiência é fruto de reações químicas, mas Allmore diz que sentiu algo mais. O curioso é que House tenta replicar a sensação (?!) , se eletrocutando do mesmo modo que Allmore (!!!).


O caso de Stark é como todo caso tradicional de House: vários diagnósticos errados, paciente piora, a única diferença é que Stark morre no final. E é aí que entra 13. Ele morre por descuido dela. 13 não vê se Stark toma as pílulas que lhe foram receitadas, que foram tomadas pelo cachorro. Como resultado, temos duas mortes: a do paciente e seu cão. 13 Obviamente foi a culpada, mas House decide não a demitir. Ele diz que após isso, ela nunca deixará que algo assim se repita. Tenho certeza que já vi algo assim na série, só não lembro em qual episódio.

A competição entre os candidatos não foi tão interessante quanto o resumo do episódio prometia, com a divisão entre homens e mulheres, mas acabou sendo satisfatório. Acabamos conhecendo um pouco mais alguns dos futuros candidatos, já preparando terreno para a escolha final.

House terá uma pausa de duas semanas e voltará com o episódio "Guardian Angels", onde a paciente, que trabalha em uma funerária, começa a alucinar com pessoas mortas. Sinopse promissora, acho que será legal ver House com toques de O Sexto Sentido. Até lá então.

Allan

2 comentários:

Alex Santos disse...

eu achei genial o episódio.

Lorena disse...

acho q o mesmo q aconteceu com #13 e House, foi com Chase e House no epi da morte do pai dele.