terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

[House] 4x11 "Frozen"

Em Frozen, o trabalho de House é um pouco mais difícil que de costume. Dessa vez, ele não tem a possibilidade de examinar o paciente de perto, muito menos realizar testes. Cate, a paciente, está presa na Antártida, sem nenhum médico para lhe ajudar. Ela, que é psiquiatra, precisa usar seu conhecimentos de medicina para realizar os testes em si mesma, enquanto House e sua equipe (reduzida a basicamente Foreman por boa parte do episódio) fazem o possível para obter diagnósticos usando apenas os resultados dos testes de Cate e vídeo.


Algo curioso foi a quase ausência total da equipe no episódio. House os deu a missão de infernizar Cameron e conseguir de volta a TV a Cabo de graça no quarto dos pacientes, comodidade da qual House pretendia se aproveitar, é claro. Os três só participaram do caso no final do episódio, quando Kutner resolve o mistério. Na minha opinião, não fizeram nenhuma falta. Foreman e House, com uma pequena ajuda do Wilson, conduziram muito bem o caso. Foi bom ver Foreman recebendo mais atenção, ele andava muito apagado nos últimos episódio, assim como Cuddy e Cameron. Só faltou o Chase para ter os três antigos ducklings nesse episódio.

Cameron não foi a única pessoa que House infernizou nesse episódio. Wilson teve que suar para se livrar do doutor. House suspeitava que seu amigo oncologista estava se encontrando com alguém, e todos nós já sabemos como House age quando suspeita que Wilson tem algum encontro. Uma grande surpresa foi descobrir quem era a mulher com quem Wilson se encontrava: Amber. É curioso que ele escolha uma mulher com uma personalidade parecida com a de seu melhor amigo. De fato, algo que dá muito o que pensar.

O atrativo do caso nesse episódio não foi o mistério, nem as implicações e a ética relacionada, mas sim o diferente modo de fazer os diagnósticos, e a curiosa simpatia de House pela psiquiatra. Ele parecia gostar mesmo dela, mas o quanto e o porque não ficaram claro. Bem que ela poderia voltar a série como um interesse romântico para House, não? Ela não parecia apaixonada pela seu colega de trabalho, como ele estava por ela, além disso, ela e House mostraram ter química, sem contar as análises sobre a personalidade dele foram, que foram bem interessantes. Uma análise mais profunda da personalidade do doutor, é sempre algo bem vindo, mesmo que ela não volte como um par romântico, seria uma ótima surpresa vê-la de volta no futuro, ao menos para mais um episódio.

Allan

Nenhum comentário: