segunda-feira, 22 de setembro de 2008

[House] 5x01 "Dying Changes Everything"

Após um ótimo final de temporada, a quinta temporada de House volta com um episódio fraco, que tem mais cara de um filler de meio de temporada do que um season premiere.



O maior dos problemas do episódio foi a equipe. Taub, Thirteen e Kutner, mesmo estando na série há uma temporada, ainda não convenceram. Foreman, Chase e Cameron sempre conseguiram capturar minha atenção com seus dramas, enquanto que Thirteen e sua doença não poderiam me interessar menos. O trio ainda não mostrar a que veio não é o único problema. Eles também ocupam o espaço que antes era de Cuddy, Wilson e a antiga equipe. E isso é o que mais prejudica a série. House sempre teve uma ótima química com estes, o que resultava em ótimos momentos, tanto hilários como dramáticos. House acompanhado de uma equipe de personagens desinteressantes, mesmo que ele continue com sua inteligência e sarcasmo intactos, não é a mesma coisa.


Com a equipe sendo um grande problema, um episódio em que eles lidam com o caso sem quase nenhuma ajuda de House e, para piorar, a paciente é tão desinteressante quanto eles não poderia mesmo ser um bom episódio. O diagnóstico de Huntington volta a assombrar Thirteen e a leva a uma luta para convencer a paciente a mudar seu estilo de vida, o que resultou em um dos momentos mais entediantes da história da série. House surgindo ao final do episódio e solucionando o mistério foi uma péssima escolha, e a única reação que causou foi uma enorme sensação de déjà vu (quantas vezes ele já fez isso antes? Não poderia ao menos dessa vez ser diferente?).


O episódio só não foi um verdadeiro desastre graças a interação House-Wilson. A morte de Amber foi o grande gancho do season finale passado e sua maior conseqüência foi Wilson resolver deixar o Princenton Plainsboro. O motivo de tal decisão não foi o luto ou as lembranças que o hospital e a cidade trazem, mas sim House. Foi uma surpresa ouvir Wilson dizer "We're not friends anymore". Duvido que Wilson não voltará, mas mesmo assim, a partida traz uma ótima oportunidade para explorar um pouco mais a psique de House e, quem sabe, até fazê-lo mudar, além de, é claro, fornecer um ótimo motivo para dar menos espaço para Thirteen e seus dramas.



Allan


Um comentário:

aninemeri disse...

Não digo que foi um episódio péssimo, mas deixou a desejar.
Realmente o ápice foi o diálogo final entre House e Wilson, sobre a amizade deles.

E quanto à Thirteen, aguardo ansiosamente sua saída da série. Talvez se ela tivesse feito apenas uma participação, sendo uma paciente, teria dado certo.
Mas pertencer à equipe de Gregory House foi demais pra ela.
Detesto a insistência em dizerem que "sim, ela é interessante! Aguarde!" e ficar sabendo de nome misterioso, bissexualidade e essas tramas paralelas fraquinhas pra fixar personagens mal desenvolvidos.
Não está cedo demais para criticá-lá, 16 episódios é tempo suficiente e a personagem não mostrou a que veio. Já poderia ter saído...