quarta-feira, 5 de novembro de 2008

[House] 5x06 "Joy"

Joy foi um bom episódio, conseguindo um balanço entre os dois casos médicos, mas os problemas que já vêm afetando a série há um bom tempo, ainda não foram resolvidos.

Tempo. Eis o maior dos problemas. Os roteiristas não estão se mostrando muito hábeis em lidar com o desenrolar de certas tramas. Tudo acontece muito rápido, os conflitos mal se estabelecem e já estão resolvidos, como aconteceu nesse episódio: ao final do episódio anterior, descobrimos que Cuddy adotaria uma criança, e ao final deste já sabemos o final do processo de adoção. Além disso, para poder desenrolar os conflitos de modo compreensível em tão pouco tempo, é necessário diminuir o tempo dos casos, o que geralmente implica menos tempo para nos familiarmos com o paciente e nos interessarmos pelo caso. O resultado é esse que vemos há um bom tempo: por mais interessante que seja o caso, é difícil se importar com ele. E isso ficou muito aparente essa semana.

Dessa vez, os casos foram dois: Becca, a mãe do bebê que Cuddy pretende adotar, e Jerry, um viúvo que apresenta estranhos lapsos de tempo. O caso de Becca, achei desnecessário, apesar da ótima interpretação de Lisa Edelstein. Como disse antes, o resultado seria melhor tivesse o tema sido tratado de modo mais tradicional, não competindo com o caso principal, e ao longo de mais episódios. Porém, ver como Cuddy se comportava com o bebê e todas as emoções que ela sentia foram o ponto alto desse episódio, e final foi interessante, mas não surpreendente: Becca desiste de entregar o bebê para adoção.

Já o caso de Jerry foi o mais interessante em um bom tempo. Faltou impacto (nem me lembro da última vez que um caso teve forte impacto), mas os sintomas e o desenrolar foram interessantes apesar da apatia de House e da equipe em relação ao caso (House só queria saber de perturbar Cuddy e a equipe sempre parece apática). Por um momento até pensei que teríamos o quadro branco de volta.

Quanto ao beijo de House e Cuddy, foi muito anticlimático. Que em algum momento da série isso aconteceria, já era de se esperar, afinal já tivemos um beijo entre House e Cameron, mas o momento não pareceu apropriado, e a situação pareceu forçada. Tudo bem que foi inusitado, mas haveria ao menos de ser convincente também. Sou da opinião que uma tensão entre os dois, como já houve em vários momentos, é muito mais emocionante do que algo concreto.



Allan

Nenhum comentário: