sábado, 9 de março de 2002

[FILME] Suicide Club (Suicide Circle)

Não sei exatamente o porque, maaaaaaaaaaaaas, ontem (06/09/2007), resolvi assistir esse filme oriental que além de, a princípio, ter uma história interessante, também prometia sérias criticas sociais ao Japão do século 21...





Tal filme, escrito e dirigido por Sion Sono, produzido por Seiya Kawamatache, Junichi Tanakagou e Toshiie Tomida, e que tem trilha sonora de Tomoki Hasegawaa até veio a ganhar (não sei como, e tb não irei fazer nenhuma releitura p/tentar descobrir) o prêmio do juri, no "Fant-Asia Film Festival" 2003 e, como já disse, é metidinho a tecer criticas sociais à cultura japonesa no século 21, mostrando um detetive, um policial japonês que, junto com sua equipe e ajudado por uma "Hacker", que usava o nickname de "morcego", investiga um suposto "clube do suicídio", que estaria instigando jovens estudantes, entediados e cansados da rotina robotizada, a cometer sucicídio como maneira de darem um sentido às suas vidas.



Esta perola do cinema mundial, tem no elenco principal, Ryo Ishibashi (Detetive Kuroda), Akaji Maro (Detetive Murata), Masatoshi Nagase (Detective Shibusawa), Saya Hagiwara (Mitsuko), Hideo Sako (Detetive Hagitani), Takashi Nomura (Segurança Jiro Suzuki), Tamao Satô (LINDA enfermeira Yoko Kawaguchi), Mai Hosho (Também LINDA enfermeira Sawada), Yoko Kamon (Koomori - A "Morcego"-), Rolly (Genesis) Kimiko Yo (Kiyomi Kuroda)

Comentários:
O filme até começa bem, meio estranho é verdade, mas começa bem, e assim se segue até o segundo terço, quando, talvez por problema de orçamento, resolvem puxar uma solução mal explicada e terrivelmente mal criada e amarrada, para em seguida colocarem um clipe de uma girl band com meninas de 12 anos e meio, que canta "criticas sociais". Enfim, depois de ter conseguido ver até o final, eu conclui que, na verdade a grande causa dos suicídios, não era nem o tal "Genesis e sua gang", nem as "crianças filosofas", nem mesmo o tédio da vida daqueles jovens, maaaaaaaaaaaaas sim, o próprio filme e, se eu não tivesse que acabar minha monografia, diante de tal filme tosco e frente as horas que perdi assistindo-o, acho que iria até a estação do metrô hauhuahauha



Ah! Já ia esquecendo (sem grande dificuldade) quem, sei lá como, tiver gostado desse filme e quiser brincar um pouco no site oficial (escrito em japones), segue o link

O VIDEO ABAIXO CONTÉM SPOILERS E CENAS BEEEEEEEEEM FORTES (não aconselhável, maaaas... EU AVISEI HEIM!!)


4 comentários:

Gustavo disse...

Sem querer ofender, mas Jisatsu Saakuru (Suicide Circle) é um filme bem complexo, não é vendo como um brasileiro que você vai entender, tem que olhar pelo lado dos japoneses. Tem cenas fortes, muito fortes, e mexe com uma ferida aberta dos orientais, pois no Japão se cometem muitos suicídios e o filme critica isso seriamente como se a mídia influenciasse tudo. Não é um filme perfeito, mas existem MILHARES de filmes muito piores do que esse, e é claro que opinião é opinião, respeito a sua, mas acho que não é um filme para pessoas que não gostam de pensar, é necessário usar a cabeça para descobrir as tramas, e se você não entendeu, é porque provavelmente gosta de filmes com efeitos especiais, ets, e mocinhos e mocinhas e blá blá blá.

Até logo.

Comentarista Ribas disse...

Olá Gustavo,

Ter opinião contrária não é ofensa...

Soltar umas indiretas bobinhas tb não...

P/elas me afetarem de modo a eu ficar ofendido, elas teriam que ser baseadas em fatos e não em achismos de um fã pensador...

Relaxe e fique a vontade em expressar qualquer opinião, até mesmo as suas!!

O que eu achei do filme esta bem claro e escrito no tópico, logo, não vou repetir...

Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas qto ao fim do seu comentários, vamos PENSAR juntos?

Vamos?
Ebaaaaaaaaaaa!

Vc diz:
Não é um filme perfeito, mas existem MILHARES de filmes muito piores do que esse,

Eu digo:
Concordo! Existem centenas de filmes piores e milhares melhores, porém o tópico é p/falar desse e, eu achei uma porcaria do meio p/o fim e "mais um filme" do começo p/o meio...

Vc diz:
e é claro que opinião é opinião, respeito a sua, mas acho que não é um filme para pessoas que não gostam de pensar, é necessário usar a cabeça para descobrir as tramas, e se você não entendeu, é porque provavelmente gosta de filmes com efeitos especiais, ets, e mocinhos e mocinhas e blá blá blá.

Eu digo:
TB Gosto desses filmes sim, não faço nenhum tipinho de pseudo intelectualóide que só assiste e/ou gosta do que ninguem viu ou verá (só p/chamar a atenção e não ter opiniões em contrário), porém, embora TB goste desses filmes, coloco "TB" porque desde que o filme seja pelo menos bom, eu gostarei...

Amo cinema, mas amo mais ainda bons filmes com boas histórias, bem desenvolvidas, o que não é o caso dessa porcaria de filme...

Vc fala em pensar... Pois bem, se era p/inventar uma história melhor do que a mostrada, deveriam dizer ué...

Tipo: Olha amiguinhos, nós não conseguimos passar o que nos dispusemos, porém por favor, esqueçam a porcaria de filme que fizemos e viagem em divagações e intelectualismos baratos de modo a que nosso filmeco possa entrar p/história ao menos como CULT, ao menos lembrem de nosso filme com um filme que TENTOU MOSTRAR um problema sério da juventude oriental...

Comentarista Ribas disse...

Completando Gustavo,

Me apegando à primeira parte do seu comentário...

Algumas últimas ponderações:

Vc diz:
Jisatsu Saakuru (Suicide Circle) é um filme bem complexo, não é vendo como um brasileiro que você vai entender, tem que olhar pelo lado dos japoneses.

Eu digo:
Não existe isso de ver como um brasileiro ou como um oriental, ou melhor até tem e até entendi o que vc disse, maaaaaaaaaaaaaaaas no caso específico não...

Explico, um filme como "Batismo de Sangue" que trata de eventos ocorridos durante o perído da ditadura militar brasileira, visto por paulistanos será uma coisa completamente diferente da que seria, se ele fosse visto por amazonenses (o filme conta eventos ocorridos em sampa) e seria uma coisa mais diferente ainda se vista por esquimos do alaska (se é que é lá que tem esquimó hauhauhauha), maaaaaaaaas se o filme fosse bem contado, todos entenderiam a história, sentiriam as emoçoes buscadas pelo diretor e bla bla bla

No filmeco em questão, como disse no tópico, ele é cheio de boas intençoes, maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas
só isso... Eu vi e entendi a idéia, mas o filme em si é um porcaria...

É igual ouvir uma piada de uma pessoa que não sabe contar piadas, com certeza vc não vai rir como gargalharia se a mesma piada fosse contada por alguem engraçado...

Essa é a questão, o problema sério, é mostrado em uma porcaria de filme... Só isso


Vc diz:
Tem cenas fortes, muito fortes, e mexe com uma ferida aberta dos orientais, pois no Japão se cometem muitos suicídios e o filme critica isso seriamente como se a mídia influenciasse tudo.

Eu volto a dizer:
O resumo escrito do filme é mais forte que o prórpio filme. O filme em si é apenas uma tentativa pobre de se expressar a idéia série e tensa da juventude oriental atual...

Vc mesmo falou mais do problemas nas suas poucas linhas, do que o filme em toda a sua extensão...

Quanto às cenas fortes, isso eu gostei, pena que faltou uma história...

Volte mais vezes pois adoro debater idéias!!

Abração

Anônimo disse...

Bla bla bla ribas é daquelas bibas loucas que só assistem filmes de príncipes e princesas sem cérebro. Não é de se espantar esse tipo de comentário ¬¬'