domingo, 23 de agosto de 2009

[Dexter] 4.01 - Living The Dream




Não me canso de ouvir repetidas vezes a frase que abre toda temporada "Tonight is The night". Mas as coisas já não as mesmas para Dexter, agora ele é um homem de família, pai de três crianças, sendo que uma delas é seu filho natural, loiro, lindinho, bochechudo e chorão, tal qual todo bebê. E claro que todos nós, a esta altura, já nos perguntamos se a genética de Serial Killer está no caçulinha. Rá! E essa forçosa entrada para o lado mais humano de Dexter vai render cenas hilárias e com alta dose de filosofia de vida. A começar pelo título do episódio. Que sonho é este? Pesadelo constante de se manter acordado.

Dexter agora não tem roupa limpa, sapato inteiro, não dorme, está desorganizado e relapso. Conseguiu perder um caso no tribunal e já tem um policial que quer fazer a linha Doakes (R I P) no seu pé.

Na temporada passada, Dex teve um aprendiz que guiou através do tão caro código Harry. Mas " as desenfreadas cópias de si mesmo" precisavam ter um fim. E mais um foi para a galeria de sangue do seu apartamento.

"Que tipo de pai serei", enquanto ele se pergunta, temos um outro serial killer brilhantemente apresentado - e representado - por John Lithgow, mesmo que tenhamos que ver sua bunda branca toda temporada, este é um ator daqueles. E não tenho dúvida, um assasino nos moldes do saudoso Ice Truck Killer. Agora sim um desafio para Dex e nós. O seu modus operandis foi intrigante, bem como o tal ciclo que o Agente Lundy (êêê, ele voltou) falou. Trinta anos sem nunca ser pego! UAU! Tem como Dex se sentir melhor? O Trinity Killer será um mote delicioso nesta season!

As histórias paralelas não me pareceram muito interessantes. Tirando Lundy, que acho sempre revelador, porque diabos tenho que ouvir LaGuerta e Debra falando sobre relacionamentos? Nem quero. E muito menos ver Angel com sua chefe. Passo! Mas Masouka continua um arraso! Hahahaha. Drinks e prostitutas, rock´n roll all night, and party every day.

Imerso na sua bagunça e caos, Dexter torna-se apressado até no seu ritual de maior prazer: matar. E ele assassina Benito Gomes de forma tão desorganizada e suja, que só poderia terminar mal. O gancho do episódio é promissor. Dexter envolvido num acidente. Polícia para quem precisa. Quero ver sua lábia para escapar desta, nem raciocínio rápido ele terá. Pois é Dex, na ânsia de se ajustar como ser humano, até que se adaptou bem. Mas ser pai - e assassino - em tempo integral, aí é outra história.

Cenas legais:

- Dex falando o alfabeto ao contrário para o policial "alfabeto".
- Contando o segredo para o Harrison enquanto dá a mamadeira.
- O Trinity Killer e sua obsessão com a água. Quente!
- As crianças cresceram tanto. Astor está lindinha e fará tudo por um maldito Ipod.

-> Dexter acabado, maltrapilho e a Rita toda loira, linda e bronzeada? NOT!


Danielle M

2 comentários:

Adelson (TD Séries) disse...

Olá, Danielle!

Muito bacana o seu texto!

Eu estava ansioso por ver como Dexter iria conciliar sua "vida noturna" com sua "vida de pai". E deu para perceber que isso não será nada fácil!

Adorei a atuação de Michael C. Hall, mostrando visível cansaço em cada cena. Adorei também a "abertura alternativa", em que Dexter não consegue matar nem o mosquito que o pica. Ótima sacada!

A temporada promete ser ótima, como as anteriores. Já estou na expectativa pelo próxima capítulo, para saber como Dexter conseguirá escapar com um cadáver no porta-malas.

Um abraço!

Danielle Mística disse...

Oi Adelson! Tb adorei esta sequência da abertura às avessas. O que o cansaço não faz, né?

O chato de vazar o episódio é que vamos esperar um mês até o próximo.