sábado, 2 de outubro de 2010

[Dexter] 5.01 My Bad

Por Danielle M




"Fui eu". Minha culpa, máxima culpa. O que ele temia aconteceu. Assim começa Dexter 5a temporada. E ao que tudo indica, sua última. O que é preciso fazer para que esta temporada seja diferente? Um elemento novo, não necessariamente surpreendente, mas com efeito de nos prender e deixar sobressaltados. Afinal, o que mais poderia acontecer a ele?

Tudo começa caótico. Dexter num estado zumbi transtornado. Aquela perguntinha maldita que ele, e nós também, fizemos,  "porque não matei Trinity quando tive a chance?". Pois é. A pobre e inocente Rita e a sua relação foram enterrados. Lamento muito, mesmo com suas chatices, adorava ver a dinâmica entre eles. Mas essa história acabou. Foi bacana ver o começo de namoro. Porém...



Porém eu esperava que a série fosse para um outro rumo, e neste episódio deu bons passos para ele, Dex como um cara solitário de fato e fugindo. Mas não durou muito, até porque Laguerta e Angel sabem do álibi, afinal, Dex foi padrinho de casamento deles. Esse novo Dex que mata sem o menor planejamento, desordenado, visceral, e com muito sangue, ahhh, ele prometia...

Mas aí,  após matar o cara sem a menor cerimônia e nas palavras de Harry ainda como consciência persistente,  "primeiro ato humano que você fez após a morte de Rita", já percebi que as coisas não mudariam assim.  Mas tenho esperanças, Julia Stiles entrará para o cast. Quem sabe não precisamos mais ouvir/ver Harry, "Você precisa voltar". Ah não,  volte para o limbo e deixe Dex ser livre para ser o que é.



Cenas legais :

- Astor segurou bem a cena com Dex.
- Masouka, o sem noção, dizendo que sempre imaginou Rita nua, mas não daquele jeito.
- Detetive insignificante  Quin transando com Debra e ela dispensando depois. ehehe
- Dexter com orelha de Mickey contando a Astor e família que Rita morreu.
-Dex suspeito



**fotos:reprodução google images

/dannamagno

3 comentários:

Lee disse...

Os eventos intensos do final da última temporada se foram, mas o clima, a repercussão dos acontecimentos(o assassinato da Rita) de tão forte que foi, permearão, ficarão presentes durante toda a temporada, não importando muito a inserção de novos personagens, mudanças de rumos, ou guinadas abruptas de roteiro, nada disso servirá para desviar as lembranças do telespectador da tragédia dexteriana.Mas, a minha compaixão vai toda para os meninos que perderam a mãe.Na comunidade de Dexter, tenho visto comentários inacreditáveis, como pedir o estupro e decapitação da doce Astor(sofrendo imensamente a perda da mãe). Muito deles são psicopatas mesmo, afinal, nem todo psicopata é serial killer.É o que muita gente lá é, por isso aquela comu me arrepia.

Lee disse...

Ser pai solteiro não é fácil, ainda mais para um serial killer. Este segundo episódio da 5ª temporada continuou mostrando como a vida do Dexter virou de pernas pro ar com a morte da Rita. Mas diferente do episódio anterior, no qual a carga dramática era intensa, neste já tivemos um leve retorno do humor negro da série e o também vimos o Dexter dando seus primeiros passos para reassumir seu lado "Dark Passenger".

danna magno disse...

Eu gostei , Lee. Mas tem algo que não deu liga neste episódio, talvez o tom melancólico em demasia. Não sei.