segunda-feira, 3 de outubro de 2011

[Breaking Bad] 4x12 - End Times


“There will be an appropriate response” - Gus

“I alone should suffer the consequences of those choices, no one else. And those consequences… they're coming.” - Walt


Curioso ter comentado no post anterior sobre a vantagem de escrever, num texto só, sobre dois episódios de Breaking Bad, já que um episódio ajuda a compreender melhor o anterior. Pois isto nunca foi tão verdadeiro como com este “End Times”, que depende desesperadamente do season finale da semana que vem, até para aceitarmos algumas coisas surpreendentes que acontecem no episódio e que, a princípio, surgem como uma enorme decepção.


Breaking Bad está entre minhas séries favoritas de todos os tempos. Atualmente, talvez não exista nada melhor – e uso a cautela simplesmente por não ver todas as séries existentes, mas do que conheço apenas Mad Men tem este nível de excelência. E entre as muitas qualidades, sempre foi marcante o desenvolvimento dos conflitos, com roteiros impecáveis. Sempre me chamou a atenção o brilhantismo dos roteiristas, as soluções, a coerência interna que não permite nada fora do lugar, nenhuma dúvida, nenhum questionamento, nenhuma conveniência para que as coisas cheguem a determinado ponto de tensão, de suspense, de drama.


É, portanto, com estranhamento que este episódio chega com uma das reviravoltas mais esquisitas e inesperadas: a ricina aparentemente é usada, e em Brock. Quando Jesse recebe a ligação de Andrea, imaginei que Gus teria partido para medidas mais drásticas, passando uma mensagem de ameaça clara para Jesse (seria a “resposta apropriada” a que ele se referiu mais cedo). No entanto, Jesse percebe que a ricina sumiu de sua carteira de cigarros e imediatamente culpa Walt pelo envenenamento de Brock. Aqui o roteiro ameaça escorregar, mas quando Jesse explica como chegou a esta conclusão, faz sentido. Mas quando Walt o convence de que foi um plano de Gus e ambos retomam a parceria, a coerência começa a desaparecer: como Gus poderia pensar em estratégia tão imperfeita? Como saberia que Jesse não só culparia Walt, mas conseguiria matá-lo? Como ele sabia da ricina durante todo este tempo, se ao menos por duas vezes Jesse teve a chance de matá-lo e só não o fez porque não quis?


Só consigo imaginar uma resposta: Jesse não estava errado e de fato Walt é o responsável pelo envenenamento de Brock. O episódio deixa essa dúvida (é curioso que o penúltimo episódio da temporada anterior também envolvia uma tragédia com criança relacionada à Andrea e também não havia deixado claro o envolvimento de Gus) e daí a necessidade de vermos o season finale para que faça algum sentido tudo o que vimos.


Primeiro, as evidências que apontam Walt como culpado (para além de ser um plano no mínimo falho de Gus):


- Ao esperar a morte certa, Walt gira o revólver na mesa por três vezes: enquanto as duas primeiras vezes apontam para ele, a última aponta em outra direção e vemos um close em seu rosto passando a impressão de que ele não vai esperar sua morte e começa a planejar alguma coisa (após escrever este texto, li em um fórum alguém relacionando a arma apontada para uma planta e a ricina, que é extraída de vegetal). O que temos depois é um sumiço do personagem durante boa parte do episódio, inclusive com celular desligado (Jesse e Marie tentam em vão entrar em contato);


- Observem a cena em que Huell, o capanga de Saul, revista Jesse. Tudo acontece muito rápido, mas é possível perceber que ele coloca as mãos dentro do casaco de Jesse e depois uma das mãos rapidamente vai pra o seu próprio bolso;


- Quando Jesse vai à casa de Walt, este parece deixar a arma propositalmente ao alcance do primeiro. Eu não duvidaria que a arma na verdade estivesse descarregada;


- Discutindo o episódio com o amigo (e comentarista do blog) Eric Fuzii, ele me lembra que a ricina pode demorar a agir no organismo e especulamos que a intoxicação pode ter sido antes; ou, ainda, que de fato não foi por ricina, e para que outra substância tenha sido usada, Walt seria a pessoa mais provável para isso; mas há vários complicadores, como a ricina ainda estar em poder de Jesse naquela manhã, além do efeito poder variar dependendo de quantidade e forma que foi administrada - ainda mais em uma criança.


- Saul sabe onde Andrea e Brock moram, então basta sua ajuda para que Walt chegasse até eles (e não parece ser por acaso a urgência do advogado em entrar em contato com Jesse e ainda avisá-lo da ameaça que Walt sofreu);


Claro, é tudo especulação, especialmente porque ainda há falhas (Huell poderia roubar os cigarros de Jesse, mas conseguiria fazer a troca? Walter conseguiria ser tão convincente quando sugere que foi obra de Gus, se realmente não pensasse isso?) e uma decisão perigosa em fazer o protagonista cometer ato tão terrível, por mais que seja esta a trajetória de Walter White. Mas é incrível como o episódio deixa esta questão ambígua, ainda que qualquer uma das respostas (Gus ou Walt) não seja completamente satisfatória.


(este texto foi escrito no início do dia e até o momento da postagem, discuti e pensei muito sobre o episódio, chegando a uma outra conclusão: a de que nem Walt e Gus sejam culpados, e que Brock utilizou a ricina por acidente. Faz sentido dentro da proposta da série, com o acaso pregando peça nos nossos protagonistas, mas esbarra em outros tantos problemas, como o fato de que Jesse disse que viu Brock pela última vez na noite anterior e que estava de posse do "cigarro da sorte" na manhã seguinte.)


O fato é que será uma semana longa e até lá gosto de pensar que o último episódio da temporada, “Face Off” (mesmo título do filme de John Woo em que John Travolta e Nicolas Cage mudam de face), abrirá com um flashback mostrando o plano de Walt e Saul para envenenar Brock ou ainda uma forma de envenenamento que nem imaginamos. Claro, a série sempre nos surpreende, mas Gilligan e seu time de roteiristas terão que se superar na genialidade para encaixar todas as peças desta bagunça.


Outras considerações:


- Apesar do estranhamento no caso Brock, “End Times” é excepcional em todo o resto: Hank e Steve Gomez sendo brilhantes (Hank sacando que não era ameaça do Cartel; Gomez nem tanto por não ter achado o laboratório, mas a lábia para entrar na lavanderia foi boa), Skyler tentando juntar as peças e parcialmente sabendo do envolvimento de Walt, além das duas fantásticas cenas de tensão, com mais um embate histórico entre Walt e Jesse (com direito ao retorno da trilha e das risadas do episódio anterior) e o final do episódio no estacionamento, em que Gus mostra mais uma vez seus super poderes sem emitir uma única palavra;


- Algumas pessoas pareceram se incomodar com a percepção de perigo que Gus teve, mas me parece natural para uma pessoa que já vimos ser o ápice da cautela (daí que envenenar Brock daquela maneira não me parece certo) ter sentido o perigo ali, especialmente por Jesse, minutos antes, aparentemente ter deixado claro que suspeita dele – sendo culpado ou não, é fácil concluir que Walt tem algo a ver com tudo;


- O episódio foi dirigido pelo próprio Vince Gilligan que, além destes grandes momentos, fez um belo trabalho de câmera na cena em que Jesse percebe que não tem mais a ricina e retorna ao hospital para avisar Andrea. O desespero sempre foi muito bem filmado na série e aqui em plano-sequência.


- Conversando com Fuzii, ele disse ter ficado incomodado com a forma que Walter escolheu para matar Gus. Talvez ele explique melhor na caixa de comentários, mas me pareceu uma boa ideia retomar o Walter White da primeira temporada, que resolvia seus problemas com soluções químicas.


- Saul sempre me faz rir. Aqui, quando conta sobre a ameaça que Gus fez à família de Walt, a qual obviamente ele se inclui;


- Como temos mais uma temporada com 16 episódios, é óbvio que Walt vence o confronto com Gus. As questões são: de que forma isso se dará? Quais as baixas neste conflito? Se Gus morre, não só perderemos um grande personagem, mas como será a 5ª temporada sem ele? Se Gus não morre, como encaixar os dois antagonistas nesta história?


- Realmente espero que Brock não morra. É tragédia demais para Jesse em todo fim de temporada. Começa a soar como uma piada macabra com o personagem, que parece nunca chegar ao fundo do poço.




17 comentários:

Breno disse...

Uma coisa é fato: Gus não envenenou Brock. A única resposta é Walt. Um envenenamento acidental seria uma saída muito fácil para a situação.

Pode-se questionar o sentido de Walt tentar matar uma criança inocente. Mas quem disse que ele tentou matar? Um envenenamento suficiente para levar a criança para o hospital e desesperar Jesse - e Walt, tecnicamente, sabe fazer isso com maestria - encaixaria muito bem no roteiro da série e, mais especificamente, no momento de desespero que o Walt está tendo. Afinal, sua família, ainda com todo o carinho que ele tem pelo Jesse, é o mais importante. A cena do revólver girando sobre a mesa é bem sintomática.

Pensemos como Walter: como eu posso eliminar a ameaça à minha família? Sozinho? Como chegar perto de Gus sem chamar a atenção? A única solução viável é trazer Jesse de volta, o novo "braço direito" do chefão.

Ponto importante, que eu ainda não vi citado em momento nenhum: não seria a primeira vez que Walt mataria (ou faria mal) a alguém querido de Jesse. Esqueceram-se da Jane? E Jesse até hoje não sabe que foi Walt quem deixou ela morrer... O mesmo poderia acontecer agora.

O mistério da ricina, imagino eu, será solucionado nos primeiros minutos do próximo episódio. A criança não morrerá.

Breno disse...

Acho que matei a pegadinha dos roteiristas. Reparem no frame aos 16min58s. É o momento em que Jesse deixa o caminhão e entra no seu carro. Ele mexe em seu bolso para pegar a chave do carro. Nesse momento, é quase imperceptível, mas dá para ver um objeto branco caindo no chão no momento em que ele pega a chave. Tá com toda a cara de ser o cigarro. Vale lembrar que a teoria do Heuell ter tomado o cigarro é levantada pelo roteiro explicitamente, por meio do Jesse. Ou seja, me parece uma solução óbvia ter sido o Huell quem pegou o cigarro. Revi a cena pausadamente, e está claro que o Huell não pega nada de Jesse, a não ser que ele seja o David Copperfield.

Ou seja, o conflito foi gerado por mais um erro de protagonista, sendo coerente com o estilo da série. E muita merda ainda vai rolar por causa desse acidente, e de julgamentos precipitados, típicos de uma situação de desespero.

Eu acho esse tipo de coisa brilhante.

e.fuzii disse...

Breno, muito bem observado esse objeto branco caindo na cena que Jesse pega o carro. Dá pra notar que o próprio ator atrasa um pouco o passo e dá uma olhada pro chão. Pode ser que seja um acidente, que Brock nem mesmo esteja envenenado. Porque algo que também acho implausível é ninguém questionar (ou até prender) um suspeito de envenenar uma criança.

Esse final de semana mesmo estava lembrando o fato de Walt nunca ter revelado que matou Jane. Achei que fosse nesse momento antes que eles fizessem as pazes.

Sobre Walt ser o responsável pela dose de ricina (e o fato de ser em uma criança talvez seja suficiente para explicar o efeito tão rápido), tenho duas objeções. Primeiro que acho extremamente improvável que Walt conseguiria manter a pose e atuar daquele jeito diante de Jesse. Segundo que nunca gostei de ficar 10 passos (como diz Walt em relação a Gus) atrás do roteiro, acho até uma trapaça com o espectador. E dessa forma me pareceu um pouco esquemático (algo que uma série que lida tanto com reações em cadeia tem de evitar de qualquer maneira), ou seja, Walt pode não ter planejado todo esse plano até tentar explodir o carro de Gus, mas é conveniente demais que tudo isso seja "resolvido" em um só episódio. Enfim, achei forçado e que não combina muito com a elegância da série, de esconder as "engrenagens" por trás de seu roteiro.

Bom, talvez pelo próprio Gilligan ter se encarregado de dirigir o episódio me faz crer que essa ambiguidade é proposital e claro, seremos surpreendidos de algum jeito com essa e outras resoluções no finale. Vamos aguardar.

Rômulo Andrade disse...

@ Breno

e como você explica o maço de cigarro no final?
queria compartilhar essas imagens:

http://i1092.photobucket.com/albums/i412/Joeshy/a3.png

http://i1092.photobucket.com/albums/i412/Joeshy/a11.png

http://i1092.photobucket.com/albums/i412/Joeshy/a21.png

e aqui o gif do que vc falou
http://i.imgur.com/Hi0PO.gif

Hélio disse...

Tenho achado esse misterio do envenenamento uma coisa incrível, porque em menos de um dia ja vi tantas especulações, e o mais incrivel é que nenhuma delas resolve todos os problemas. Isso em uma série que ja provou milhares de vezes que nao se permite furos.

Grande sacada essa, Breno, e fico tentado a pensar que seja uma brincadeira do Gilligan ("acaso" durante as filmagens seria incrivel demais). Nao acho que va a algum lugar isso, especialmente pela dificuldade de explicar e/ou mostrar ao telespectador que foi este o destino do cigarro.

O fato é que passei da sensação de decepção para uma de admiração e curiosidade em relação ao episodio. Porque é construido em roteiro aparentemente falho, mas quanto mais se discute ele (sao varias pessoas que dão como certeza a culpa do Gus, outros tantos acreditam que so pode ter sido o Walt, e outros apostam em acidente), mais me faz acreditar que o finale trará uma explicação que nos pegará de surpresa. E nossa, como espero estar certo.

Sobre Jane, acho que foi no meu texto sobre Fly que eu disse, e continuo acreditando: a verdade sobre ela nao precisa necessariamente vir a tona. Acho que nunca virá.

Breno disse...

Hélio, não sei se seria tão difícil explicar para o telespectador o destino do cigarro. Concordo que a engenharia da queda do cigarro é meio complexa, mas um flashback de Jesse no momento em que ele souber que Brock não foi envenenado por ricina pode resolver. Confio demais nesses roteiristas. Os caras não vão deixar um buraco desses. O podcast oficial da série trata dessa dúvida toda. É uma dúvida calculada.

Sobre a questão do maço, a explicação é esta: não caiu o maço, caiu um cigarro apenas.

P.S.: Nesse especulol todo, me permiti uma teoria bizarra, mas quiçá possível: Gus, muito provavelmente, tem alguém infiltrado no DEA, via Mike (em "Hermanos" fica claro que o Mike tem um contato lá dentro). Pois bem. Imagine que esse cara esteja na equipe de escolta do Hank, mais precisamente na varanda. E que, por alguma razão, ele está monitorando de perto os passos de Jesse. E que ele vê um cigarro caído junto ao carro de Jesse, e pega para si. E que esse cigarro acaba sendo aquele que Skyler pega para fumar na varanda de Hank. E que, portanto, Skyler morrerá. E que, narrativamente, isso pode passar a ser explicado a partir do momento em que o agente infiltrado partir pra cima de Hank. E que aí teremos uma quinta temporada em que Walt terá que proteger Junior e a filha sozinho, além de lidar solitariamente com a questão da lavagem de dinheiro.

Só viajando, é claro...

Alexandre Alves disse...

Voto no Walter como responsável pelo envenenamento. Acreditar que foi o Gus seria cair em mais uma peça da série (seria improvável, devido o fato do irmão mais velho do Brock ter sido vítima do Gus, e Breaking bad brinca com o inesperado).
Gilligan não colocaria o garoto no jogo em vão. E é por algo mais forte que a própria frieza do Gus.

Filipe Dias disse...

Bom, as duas teorias sobre quem foi que envenenou o Brock são coerentes e ao mesmo tempo cheio de falhas, porem em ambas, no meu ver, é justificada a cena final com o Gus presentindo que há algo errado. não importa quem o tenha invenennado, o guas sacararia caso tenha sido ele que o seu plano não tenha dado certo.
caso tenha sido Wal, ele perceberia que alguma coisa extranha estaria acontecendo ali.

aquela cena dele com o Jesse na capela foi muito Corleone.

outra coisa, alguem falou dos simbolismos na série, notei isso:

existe exesso de cor roxa na casa do Hank. A principio achei que era coisa da Maria, porem em outros episódios nao notei as coisas roxas, e neste, o tapete, alguns utencilis, a roupa da maria, até a mesa do lado de fora da casa esra roxa.
Depois em algumas fotografias elas tinha um tom roxo para trocas de cenas, e nas paredes do Hospital, e em alguns lugares espalhados.

olha o que a cor significa: "A cor roxa está associada com a proteção psíquica."



Outra coisa interessante: Skyle pede o cigarro, depois mostra Jesse com o esqueiro na mão, recebe a ligação, e no Hosptal descobre sobre a Racina, que estava no cigarro.

Muitos detalhes. Posso estar viajando, mas existe algum sentido

Breno disse...

Lembrando sempre que o Vince Gilligan derrubou um avião sobre a casa de Walter na segunda temporada... tudo é possível. Os elementos estão dados. Só falta amarrar.

Ricardo disse...

Dediquei 15 minutos de reflexão ao tema enquanto andava até a parada de ônibus (com direito a pisar num buraco e quase cair, o que não vem ao caso).

A possibilidade de envenenamento acidental é a que traz menos riscos à credibilidade da série, tão bem construída até aqui. Além do acaso já ter sido a força por trás de vários acontecimentos em Breaking Bad, lembremos que estamos falando de uma criança, que pode muito bem ter feito algo estúpido. Brock não é nenhuma sumidade infantil, quem garante que ele não comeu veneno de rato que achou no chão, julgando ser um M&M de sabor estranho?

Não sei se a cena de Jesse derrubando algo tá ali só pra confundir ou se vai ser explicada em flashback, com o cigarro caindo (acho bem viável e seria uma boa saída). Mas de repente Brock está doente por outra coisa e seu mal estar serve justamente para colocar Jesse e Walt na mesma página.

Não acho que Walt daria ricina para o menino. Se foi isso, acho que Gilligan pesou a mão naquilo que ele já andou declarando, de que "daqui pro final da série, ninguém mais conseguirá torcer pelo meu protagonista". Por mais que Walt tenha tomado diversas atitudes questionáveis, não acho que matar uma criança para trazer Jesse de volta fosse uma opção. Mesmo que ele achasse que dava tempo de Jesse notar a falta do cigarro e procurá-lo para um confronto, haveria o risco da criança morrer. Ou mesmo dos efeitos demorarem a chegar.

Não acho também que Walt, ameaçado do jeito que foi, sairia de casa pra fazer qualquer coisa, sabendo que poderia ser seguido. Por mais que ele costume agir por impulso, acho que ele tava mais ali esperando a morte chegar. Ou a ameaça de morte.

Se Walt fez algo contra o menino (não acho, nem quero que seja isso), acredito que tenha feito algo com o menino, mas não envolvendo a ricina do "cigarro da sorte"? Ele pode ter envenando a criança com outra substância, que só a deixasse mal, mas não matasse. E talvez a surpresa dele quando Jesse o acusou fosse pela perspectiva de que a ricina acelerasse a reação química dessa outra substância, colocando aí sim a vida de Brock em risco.

(sim, sei que viajei, mas se servir pra deixar vocês mais encucados, enquanto durmo tranquilamente, já valeu :P)

Uma coisa que me incomoda é isso de dizer que Walt seria capaz de envenenar a criança com ricina, porque já deixou Jane morrer. Deixar Jane morrer provou sim que a índole de Mr White tinha ido pro espaço, mas ele apenas evitou salvar a vida de um inocente. Tirar a vida de outro é algo muito mais pesado. O problema nem é saber se Walt seria fdp a ponto de fazer isso, mas se teria coragem de carregar esse fardo.

Mas acho que a pior solução possível é que tudo tenha sido um plano de Gus. Primeiro porque isso o tornaria um gênio do crime. Ele é muito inteligente, observador e discreto, mas daí a estar a 10 passos a frente de Walt (que mesmo burramente impulsivo, sempre se mostrou um cara de QI alto também), me soa exagerado. Fora que, ao contrário de Walt, Gus sempre é meticuloso e pensa nas consequências.

Já quanto à cena final, achei natural Gus perceber que algo estava errado e se afastar do carro. Quem deve, teme. Na hora, achei meio brochante que terminasse daquele jeito, considerando que o episódio pudesse terminar um minuto antes (quando Gus olha para fora do prédio e Walt se esconde), pra não termos certeza de que efeito teria o plano de Walt.

Mas pensando bem... de repente Gilligan resolveu encerrar essa situação logo, porque tem uma daquelas aberturas pré-crédito sensacionais.

De qualquer forma, não tenho motivos para achar que a série vai meter os pés pelas mãos justamente no encerramento de sua melhor temporada. E como ela já nos provou outras vezes, é bem capaz de que todas as teorias sejam furadas e eles nos surpreendam mais uma vez. Não se preocupem tanto à toa :P

Leandro Werder disse...

Pessoal,
talvez o comentário de vcs possa me ajudar com algumas dúvidas para tentar ficar pela primeira vez "1 passo a frente dos roteiristas" :)

Desculpe se no meio do caminho existe alguns pontos que deveria ter refletido mais, mas o intuito realmente é de questionar vcs que tem uma visão mais ampla sobre a série.

Dividi em 3 possibilidades mais simples:

Envenenamento Acidental:
(Para mim a mais provável, apenas uma questão não fecha)
1- Como que o JP perderia o cigarro justamente naquele mesmo dia? Seria muita coincidência, nao?

WW envenenou o menino:
(Aquela cena com ele girando a arma nos faz pensar que ele bolou uma estratégia)
a) Com Ricina
1- O WW para salvar a família mataria uma criança?
2- Como ele pegou o cigarro? Ou "fabricou" mais ricina e o cigarro sumiu no mesmo dia por acaso
3- Para quem o Saul trabalha? Para ambos, não? Por que ele ajudaria mais o WW do que o JP ou até mesmo faria algo que poderia deixa-lo em má situação com o Gus? (Ele teria que ter dado o endereço da criança para o WW ou até mesmo ajudado a roubar o cigarro, certo?)
4- WW seria um mestre de atuação e teria já tudo preparado e deixado a arma descarregada, certo?


b) Com outra substância
1- Mesma dúvida referente ao JP perder (ou ter sido roubado) o "cigarro da sorte" naquele mesmo dia somente para dar a impressão que "alguém" envenenou o menino com a Ricina. (primeiramente ele próprio WW e depois ele colocaria a culpa no Gus qdo o JP fosse atrás dele , assim fazendo com que o JP o ajudasse)


Gus envenenou o menino:
1- Ele ficaria tão frustrado e daria o trabalho de perder o lote e tb ir até o hospital somente para passar a mão na cabeça do JP? Com tudo isso, qual msg ele estaria passando para o JP em relação ao problema principal, matar o WW e o JP continuar trabalhando?
2 - Se foi ele, por que a preocupação no final de que algo errado estava ocorrendo?
3 - Como ele roubou o cigarro ? (Ok talvez essa até o WW já respondeu…)

Hélio disse...

Breno, um pouco viajado demais isso da Skyler com o cigarro. Ate porque ninguem ingere a ricina fumando aquele cigarro, ja que a substancia está num frasco. E Breaking Bad nao é o tipo de série que tira umas revelações do nada (como seria o caso de um informante do Gus na casa do Hank). Tambem nao acho que a Skyler morrerá. Nao neste finale.

Sobre Gus e seu "sexto sentido", ha um video no site da AMC com os atores comentando o episódio. O Giancarlo Esposito fala exatamente o que pensei, que o Gus começa a suspeitar de algo a partir da conversa com Jesse. Mas Esposito fala de uma forma em que deixa claro que Gus nao é culpado do envenenamento: ele diz que Gus vai andando ate o estacionamento e uma frase martela em sua cabeça: "o garoto foi envenenado, o garoto foi envenenado" e que obviamente ele faria ligação com Walter White.

Nao sei se Esposito ta estragando a surpresa, ja revelando que nao foi Gus o responsavel, ou se tudo faz parte do complô do Gilligan em nos deixar teorizando ate a semana que vem. hehe

Hélio disse...

Leandro, na verdade voce resumiu praticamente os problemas de cada uma das alternativas. Daí que é mesmo aguardar o episodio final e torcer pra uma explicação sensacional que amarre todas as pontas soltas.

e.fuzii disse...

Por essas questões que o Leandro levantou para cada caso que não vejo outra alternativa além do envenenamento acidental. Na verdade acredito até que esse assunto vai passar em branco. No final, nem envenenamento foi e era tudo paranóia na cabeça do Jesse.

Ou temos uma terceira pessoa nesta equação que ninguém citou ainda. Vamos aguardar.

Leandro Werder disse...

Concordo 100% com esse penúltimo post do Helio (10/04 01:27 pm). Nem a Skyler fumaria o cigarro, nem o garoto acidentalmente pois a Ricina está dentro de um frasco.
Tb acho que se foi o Gus, ele não teria tal preocupação no final que tb creio ter aparecido com as últimas palavras do JP. (o garoto foi envenenado)
Eric, esse para mim é a explicação simples que falei ontem no twitter, envenanemento acidental ou doença X e paranoia, pois até agora nenhum médico confirmou que o garoto foi realmente envenenado.
O que intriga são dois pontos:
1 - Sumiço do cigarro no mesmo dia;
2 - Aquela cena com WW girando a arma realmente me faz pensar que ele bolou uma estratégia para sair da situação

Enfim, esperar até domingo e descobrir que estava errado como sempre...(roteiristas malditos) hehehe

abs

Anônimo disse...

uma curiosidade que me veio ao final do episodio foi que.tanto a serie até este momento tanto o proprio mr.withe tenta dizer é que o gus está a Dez passos na frente.Mas é se for ao contrario, e o heisenberg ter tido o plano do envenenamento a muito tempo e quem esta dando as cartas nao é o gus é sim ele.

uma duvida quanto tempo passou entre o jesse no mexico até esse episodio? PARANOIA minha mas se o walter enveneno esse garoto se eu estiver certo foi qndo o jesse estava no mexico no dia q o walter entorpecido confundi o filho com o jesse!

Blogger disse...

VaporFi is the best electronic cigarettes provider on the market.