sexta-feira, 30 de setembro de 2011

[Prófugos] 4

Por Danielle M




Quatro homens e um milagre. Basicamente isso. O milagre em questão é resgatar Kika dentro de uma ambulância cercada de policiais com a cavalaria completa. E eles conseguiram. Mais uma vez na cara de toda a PDI ( a polícia federal chilena autorizou o uso de seu logo na série, fico pensando que o Chile deve ser realmente um país muito evoluído, porque esta polícia retratada até agora é corrupta e incompetente.) e do todo poderoso muito filho da puta chefe de Tegui, o tal supervisor geral de operações antitráfico, Marcos Oliva. Como vimos no anterior, ele é o inimigo de Tegui e quer os prófugos mortos, talvez mais do que o próprio Aguilera, o narcotraficante rival do clã Ferragut e sedento de sangue, porque né? Filho com cabeça decepada em caixão aberto é difícil de esquecer.

Oi! Sou o chefe filho da puta de Tegui. Marcos Oliva. Prazer aí.

Aliás, a cena do funeral de Aguilera filho ficou parecida com o dia dos mortos no México. Ganhou status de santo. Kika presa no hospital depois de levar porrada na cadeia já sabe que sua situação é péssima. Ela é alvo fácil. Implora a sua filha, Laura, que a tire logo dali. Mas é nas boas mãos do seu  favorito, Vicente, que toda a ação de salvamento vai rolar.



Este foi um episódio no qual os coadjuvantes ganharam mais vida e participaram mais ativamente nos desdobramentos da ação. Kika, Laura, promotora Ximena e seu namorado  detetive da polícia  assim como era Tegui (sorry, mas ainda não decorei os nomes e preguiça de procurar isso agora) Fabián ,tiveram seus bons momentos na trama e já começam a dizer a que vieram. Laura me pareceu uma moça submissa e extremamente rancorosa em relação a mãe. Mas incapaz de contrariá-la . Kika, a toda poderosa dos Ferragut, se mostra uma mulher duríssima, pouca coisa a intimida e a polícia só a faz rir. Seu ponto fraco é Vicente. Fica claro que ela deposita as maiores esperanças no filho. Ele é a própria personificação da continuidade dos negócios da família e de sua salvação pessoal.

Essa responsabilidade é sentida por Vicente. Mesmo carregando aquele ar de narcotraficante relutante, tal qual como um Michael Corleone latino, ele suja as suas mãos e assume um papel ativo - e decisivo - nos negócios dos Ferragut. Ele é a família, a sua continuidade e seu legado. Sobe o tema de O Poderoso Chefão.


Para resgatar Kika, Vicente precisará da ajuda de todos. Convence o seu bando com la plata. Até porque não há necessidade de continuarem a fugir juntos. Tudo resolvido, eles aceitam. A motivação de cada um é até simples de entender. Moreno é o braço direito do clã. Salamanca tem a sua filha, agora uma prófuga forçada, e Tegui ...bom, Tegui. Vicente acredita que ele é um amigo, já está no clã há algum tempo e tem idade e afinidades parecidas com ele. Mas para Salamanca, macaco velho da ditadura, que aprendeu a sacar quem é quem, aí tem coisa .Coloca uma arma na cabeça de Tegui, diz que Vicente não sabe nada de nada e pressiona: Continua porque? Mas o policial disfarçado sabe muito bem como agir e, bom  hehehe, devolve a questão, Vicente não sabe mesmo, nem desconfia do tamanho e gravidade da enfermidade (câncer terminal) de Salamanca. Olho por olho. Salamanca sela um pacto com Tegui, não, ele não revela que é policial, mas mostra-se um aliado do ex revolucionário. Salamanca sabe que ao sabor dos acontecimentos, Moreno e Vicente podem descartá-lo e também a sua filha.

O recurso do flashback voltou. Num hotel fétido de quinta categoria de um amigo de Moreno ( imagina o naipe da figura), Tegui sofre no banheiro do quarto. Olha no espelho e cospe na sua imagem refletida. Corta para FB, ele com Ximena na época que eram namorados. Fácil entender. Infiltrado, achando que cumpria com seu dever, ele perdeu tudo. 
Mesmo com a promotora do seu lado e lutando para salvar sua reputação na PDI, fica difícil defender Tegui. Todas as evidências apontam sua participação na ação dos prófugos. Ele está também implicado  na morte de Aguilera junior, mesmo a PDI sabendo a esta altura que foi nas mãos de Moreno que o moço padeceu. Mas Ximena e seu atual namorado, um detetive desta mesma polícia , Fabián,  acham que também existem evidências suficientes de que nem tudo é culpa e obra dos prófugos. Tegui consegue, ainda sem saber, dois aliados importantes que mostrarão a sua lealdade na hora certa.

Neste episódio a relação entre Salamanca e sua filha revela a sua tensão, fissuras e rancores. Muita mágoa acumulada. Irma não sabe do sacrifício que o pai faz -  e fez no passado ao abandoná-la deixando sua criação com os avós - para que ela tenha uma vida melhor. O FB de Salamanca nos esclarece sobre as circunstância da morte da mãe de Irma. Cruel. Mas essa foi a vida e escolhas do ex revolucionário. 

O plano para resgatar Kika na ambulância em plena transferência é espetacular, com direito a exageros e mentiradas que todo bom filme de ação tem. Tiro para todos os lados, criancinhas em perigo, gente histérica pelas ruas, Salamanca salvando a pátria roubando um ônibus escolar para servir de veículo de fuga e, claro, o resgate em si, ambulância "errada" capotando, tiros, tiros e mais tiros e Kika salva, saindo atirando da ambulância (façam-me o favor...). Mais uma vez, como disse no começo , o bando fez a PDI parecer amadores, bem da verdade que Tegui teve a providencial ajuda do seu mais novo aliado, cara a cara, o detetive  agora namorado da promotora deixou Tegui escapar com Kika. Aguilera pai falha novamente. Ele fora avisado pelo chefe corrupto da PDI sobre a transferência e, claro, daria o seu jeitinho. Olha só, a matança toda é sempre culpa de Aguilera e seus rapazes, porque os meninos (hoho) só atiram para se defender. E tenho dito (desculpa para torcer pelos prófugos mode OFF)

Parecia tudo muito difícil. Mas eles conseguiram...de novo.

Foi para não respirar. Agora os prófugos tem, além de Irma e Laura, a chefe maior, Kika Ferragut. Vicente continuará Michael Corleone? Que venha o 5.


Cenas legais:

- Kika se recusa a ver como narcotraficante: "Sou trabalhadora, como qualquer chileno." hahahahahah
- Ambulância "errada" capotando e a cara de WTF de Vicente e Moreno ao perceberem que não era aquela.
- Salamanca tirando as pobres criancinhas do ônibus escolar, de uma maneira bem fofa vai, para servir de veículo de fuga.
- Salamanca e Tegui pisando no pé de Vicente para acelerar o carro. Eu ri.
-Moreno enchendo a cara de coca e ainda mandando Vicente dar uma tacadinha.
- Como assim parte do plano era bater o carro na ambulância em que estava Kika? Gente sem plano razoável define.
- Curto muito a trilha sonora. Tanto o tema de abertura, quanto a suave voz da cançao do fim do episódio.
- Kika muito carinhosa com Vicente no carro de fuga. Filho favorito eficiente.
- Braço voando no ar após a explosão da ambulância. Bizarro.

danimistica@gmail.com
**fotos: reprodução.


2 comentários:

Aécio Rocha disse...

Prófugos dando show semana após semana. Apesar dos momentos WTF? como o dos prófugos atingindo a ambulância em que supostamente estava Kika e toda a incompetência da PDI, a série continua surpreendendo.

A ação é eletrizante, a história é complexa e está se desenvolvendo de uma forma interessante, sem cansar quem está assistindo e os personagens são cativantes.

Ah e nem se preocupa, somos todos team prófugos. Fico do começo ao fim do episódio torcendo pra PDI se lascar, mas se bem que nem precisamos torcer pra isso, já que essa polícia chilena tá envergonhando toda América Latina.

Excelente review, Danielle.

danielle disse...

Aécio, obrigada! Tô adorando Prófugos, apesar de alguns tropeços, mas é uma série sensacional, para marcar mesmo a produção na américa latina!