sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

[CRIMINAL MINDS] 4x11 "Normal"




O episódio da semana fluiu bem, sem brilhantismos mas também sem desagradar. Para 'dinossauras' excers como eu (muito, muito fã de Arquivo X até hoje), teve a gratificante presença de Mitch Pillegi (o memorável Agente Walter Skinner) no papel do unsub.

Como diz o título, ele era um cara absolutamente normal: um homem de família, pai e marido dedicado, que sofreu uma tragédia pessoal. Sua filha caçula morreu atropelada enquanto estava sob seus cuidados.


Isso, somado às suas tendências pessoais - um homem que se sentia diminuído na sua masculinidade por uma mulher 'alfa' - e a um acontecimento pontual, em que foi humilhado por uma mulher no trânsito, fez com que ele entrasse num surto assassino. Tornou-se um serial killer impessoal, que mata a esmo, qualquer que seja a vítima que apareça (e que lembre sua mulher). O primeiro assassinato lhe traz euforia tamanha que ele continua a matar para sentir a mesma sensação novamente. Como o prazer nunca é igual, ele segue se aperfeiçoando, na crença de que terá a mesma euforia mais uma vez.

A mulher 'alfa', castradora.
(Achei bem interessante não só o perfil que traçaram como também a forma que o descreveram. As expressões do unsub, na sua espiral psicótica, são muito boas. )



O unsub 'normal'...

... e sua nova persona.

O surto assassino culmina com o homicídio de sua mulher e filhas. Numa interessante seqüência em que intercalam suas alucinações com a descoberta dos corpos por parte da equipe, ele acaba sendo pego. Só lamento que não tenha sido suficiente para realmente confundir o espectador mais atento. Tinha que ser alucinação; ele jamais enfrentaria a mulher e filhas falando daquela maneira. E juro que me deu pena dele nessa hora. Há quem tenha sentido pena dele antes, nas cenas em que ele era humilhado pela família. Eu senti muita pena dele ali, quando ele se dá conta de que as havia matado.

Foi isso. Bacana. Period.

Vimos a Todd entrando em crise, sem saber se dá conta do recado, sem se abalar emocionalmente (So what?). Rossi pareceu compreensivo e acolhedor, até demais talvez.


Decida-se, Todd.

JJ visitou a BAU com o bebê e todos ficaram encantados. Um bebê é sempre encantador. Mas será que ela volta logo?? rsrs Já disse e repito: nunca achei que fosse torcer tanto pelo breve retorno dela.

O bebê na BAU.

Episódio novo só no ano que vem. Eu comento no final de janeiro, porque estarei viajando.

Boas Festas a todos!
Season Greetings!

PS. Não vou entrar em detalhes porque farei uma postagem só sobre isso, mas foi um impacto muito forte assitir a esse episódio depois de acabar de rever a season 1 (estou recomeçando segunda!). A série mudou muito, independentemente de para melhor ou pior, e a gente só se dá conta quando pára para rever e repensar. As mudanças na equipe são muito significativas. E as novidades nas tramas de cada episódio são, definitivamente, cada vez menores. Mas falamos mais depois. Até.


6 comentários:

Gabriela Spinola disse...

Meu Torrent é uma lástima, não vi o epi até hoje, damn it.

Celia Kfouri disse...

Gabriela,

Eu desisti de baixar por torrent. Não é só o seu que é uma lástima...
Baixo pelos links que colocam na comunidade do orkut. É infinitamente mais rápido.

jackie disse...

Também gostei do episódio, foi bem desenvolvido mas, vc tem razão Célia um bom observador notaria que Norman nunca agiria daquele modo, somente na sua mente maluca!

Bom, desfecho de 2008! =D

Nos vemos em 2009!!!!

---------------------------------

Célia, foi mto legal acompanhar seu blog e trocar idéias sobre CM, desejo um Feliz Natal e um Ano Novo maravilhoso, cheio de realizações e sucesso para sua Vida.

Que CM em 2009 seja mto, mto melhor que 2008!

Felicidades!!! Jackie

Vinícios disse...

Olá, represento um blog de medição de audiência dos blogs que falam sobre tv, séries de tv, ou assuntos assim.
Ficaríamos muito felizes em telos como nosso participante.
Entre no nosso blog e confira como nosso trabalho é de qualidade e veja como muitos blogs já aderiram ao Blog Ibopes:
http://ibopeblogs.blogspot.com/

Muito obrigado pela atenção prestada.

Gabriela Spinola disse...

Depois de muita enrolação, consegui assistir ao episódio e cheguei a conclusão de a série faz jus à sua posição no top 10 das séries mais assistidas dos EUA. O episódio nãp foi necessariamente sensacional, mas foi bem feito e bem equilibrado, com tudo na medida certa.

Eu nunca achei que fosse dizer isso, mas... a JJ faz falta, hein? Que mala eles arranjaram para substituí-la... Não que ela seja menos mala, claro.

Adorei o Morgan, a Prentiss e a Garcia com o bebê. "Você vai sufocar o coitadinho!!!", eu não sabia se ria ou se chorava. Ah, e o Hotch tem um sorriso lindo ;D

Celia Kfouri disse...

Gabriela,
A JJ também é dose, mas já estávamos acostumados com ela. Já tínhamos a sensação de que ela era, ao menos, membro da equipe. Já a Todd, para mim, é apenas uma outsider.

Vamos só ver o que 2009 nos reserva.

Enquanto isso, Feliz Ano Novo a todos! Foi muito bom dividir opiniões com vocês em 2008. em 2009, será ainda melhor!