sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

[LOST] 5x01 Because You Left - 5x02 The Lie

Por mais que a dupla Cuse e Lindelof declarasse que Lost não seria explicado por viagens no tempo (e hoje eles dizerem que nunca deram certeza disso), esse começo de temporada já mostra que nada mais na série será como antes. Os flashbacks e flashforwards são coisas do passado. Quer dizer, isso se o passado não fosse relativo. Se essas viagens no tempo já vinham sendo pensadas para a série ou se tudo não passou de aproveitar a boa recepção aos últimos episódios do Desmond, nunca poderemos saber. Mas nesse momento, os roteiristas tentam nos convencer que entrar nessa jornada vai valer a pena, e o interessante é Sawyer servir justamente para se identificar com esse espectador mais cético, sendo o primeiro a rejeitar toda essa baboseira.

A abertura da temporada já deixa claro como esse conceito pode ser bem explorado. Apesar de não ter tanto impacto como as anteriores, principalmente porque não acho o Dr. Chang um personagem tão instigante assim, o disco pulando funcionou para estabelecer uma ótima metáfora do que veríamos na passagem de tempo da Ilha daqui em diante. Bom, isso até Daniel arruinar tudo durante sua explicação para Sawyer. Mas a presença do físico na escavação da Orchid mostra as amplas possibilidades de como os personagens podem revisitar o passado e o futuro da Ilha. Além de adicionarem um terceiro elemento na história da Ilha, a expectativa será grande para sabermos até que ponto alguma mudança poderá trazer diferenças nessa passagem de tempo.
Um desses casos envolveu Daniel Faraday conseguindo com sucesso avisar Desmond, ainda como responsável pela Swan, para procurar por sua mãe do lado de fora (ouvi alguém dizer Mrs. Hawking aí?). Ele acorda relembrando essa passagem e novamente é trazido como peça-chave para solucionar esse desequilíbrio do tempo. Ainda que Desmond sendo o único a continuar "preso" à Ilha pareça um pouco conveniente, as viagens pelo tempo de sua consciência, desde que virou a chave no final da segunda temporada, sejam uma explicação razoável. Como o único líder que restou na Ilha, Locke também sofre com as passagens do tempo, seja num arriscado encontro com Ethan (vendo a queda do avião do irmão de Mr Eko) até ser instruído por Alpert -- sempre ele -- que a única forma de salvar a Ilha é trazendo de volta quem saiu, e para isso ele teria de morrer. Nada de novidade, além de Alpert entregar uma bússola para Locke, aquele mesmo objeto que ele provavelmente deveria ter escolhido quando criança, e que pode ser mais uma prova que Alpert estava se deslocando no tempo para visitar Locke durante sua vida em Cabin Fever. Dissemos adeus também a todos os figurantes que vinham sendo usados até aqui, com uma bela homenagem ao mais famoso deles: Neil "Frogurt", que com certeza, já ganhou o prêmio Artz da temporada.
Por outro lado, a tentativa de fazer um episódio focando em grande parte Hurley foi bastante frustrante. Na verdade, nem entendi até agora porque esses dois episódios passaram na sequência. O que mais me incomoda é a saga dos Oceanic Six estar cada vez mais chata fora da Ilha. Não sei se é porque tenho mínimas esperanças de surgir alguma reviravolta daí, por ter ficado mal acostumado (no pior sentido possível) com a quarta temporada e já esperar que os seis conseguirão voltar nos finalmentes. Mas "The Lie" tentou ponderar a escolha dos resgatados em mentir para o mundo e acabou tendo problemas principalmente no roteiro, quando tentava ganhar alguns minutos na história de Hurley. Daí tivemos cenas risíveis, como Ana Lucia reaparecendo para colocar o dilema de não ser pego pela polícia e todo o suspense com a atendente da loja de conveniência. No final, foi interessante Hurley decidir se entregar para a polícia, fazendo o contrário do que Ben havia sugerido (exatamente como Sayid lhe disse), e também ele recontando todos os fatos que aconteceram na Ilha para sua mãe. Hurley ainda é um dos personagens mais sinceros e bacanas da série.
Minha única esperança é essa assustadora Sun, que encarnando a mais digna Lady Vengeance, parece não ter perdoado ninguém pelo que aconteceu com Jin no cargueiro. Acredito que ela mesma tenha feito a denúncia para polícia e ainda espero que ela coloque tudo no seu devido lugar, ou seja, termine de uma vez com essa trama fora da Ilha. E o que aconteceria com o pessoal que sobrou na Ilha? Bom, poderia aguentá-los indo e voltando no tempo pelas próximas duas temporadas. Mas Ben não, e segundo Ms. Hawking ele tem apenas 70 horas para convencer os Oceanic Six a voltar. "God help us all."

Confiram também: o podcast do blog TeoriasLost.

e.fuzii

3 comentários:

Davi Cruz disse...

E aí Eric!

Cara, até que enfim li algum comentário coerente sobre LOST. Eu realmente fiquei bastante decepcionado em algumas partes e em outras (as cenas caricatas da família Hurley)fiquei irritado.

Espero que o retorno dos Oceanic Six ocorra o mais brevemente possível, pois está duro de aguentar.

abraço!

netiteve disse...

Como eu comentei lá no Netiteve, o The Lie até parece fraco a princípio. E se fossemos assistir apenas semana que vem, sozinho, a malhação acho que seria geral. Acontece que junto com o primeiro episódio ele se torna um complemento útil e fecha um pequeno arco de história. Daí pra frente será um avanço progressivo na trama.

Eu achei um dos episódios mais engraçados, principalmente pela família Heyes. Sayid, carregado daquele pra lá e para cá era a assinatura que o episódio é cômico até a raiz dos cabelos encaracolados de Hurley.

netiteve disse...

Já Because You Left é a volta das grandes season premiere. E agora com uma ideia, se não nova, pelo menos, impulsionadora de soluções.

Nâo é nova porque Desmond já sofria disso, mas agora todo mundo está nessa mesma balada, num verdadeiro Túnel do Tempo.

O importante é que esse novo elemento narrativo será caminho para descobrirmos muitas coisas do passado da ilha. Por exemplo, pode ser uma forma de sabermos como Rousseau chegou lá. Ou mesmo a Iniciativa Dharma.

As possibildades são infinitas.