sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

[LOST] 5x06 316

"Stop thinking how ridiculous it is..." — Ms. Hawking

A mensagem me pareceu clara: se você ainda não foi convertido a fã de Lost, esse é o momento certo de desistir. Isso porque um dos maiores conflitos de toda a série parece ter sido finalmente resolvido, com a fé prevalecendo sobre a razão. Já era cada vez mais difícil fazer uma análise racional da história sem esbarrar em manobras de roteiro para colocar os Oceanic Six de volta à Ilha ou até falsas motivações para acreditar na importância das tais regras. Afinal, nunca ficou claro o que aconteceria se nenhum dos Oceanic Six voltasse à Ilha, ou mesmo se um deles desistisse no meio do caminho. Ou mesmo porque Ben tentaria também retorna se disse que não poderia fazer isso. Restava apenas dar um voto de confiança e esperar que com todos novamente reunidos, as coisas passariam a voltar aos eixos. É nesse episódio que temos essa virada (o tal "leap of faith"), em que até a figura que representava a visão racional na série, o homem da ciência Jack Shephard, precisa acreditar na força que o destino pode ter em sua vida. A forma como ele acorda deitado no meio da floresta, repetindo o seu primeiro contato com a Ilha, denota que estamos presenciando o renascimento desse homem, agora trazido até ali pela fé. E o abrir de olhos nesse novo começo, teria sido a abertura perfeita para essa temporada.

No caso desse episódio isolado, o problema esteve justamente em enquadrá-lo de forma forçada na estrutura da série, apenas invertendo os fatos e mostrando essa chegada logo no começo. O ideal seria que a história fosse se desenrolando após o encontro com Jin e, ao mesmo tempo, acontecesse toda a preparação de Jack fora da Ilha. Quem já acompanha esse blog sabe que o doutor nunca foi meu favorito, mas confesso que enxergo nele toda aquela amargura de sua vida pós-resgate, agarrando na fé por não ter mesmo outra escolha. Podemos ver até Jack engolindo seu orgulho, tendo até dúvidas de sua própria razão e acreditando nas instruções de Ms Hawking por mais ridículas que pudessem ser. Nesse caso, sábio mesmo é Desmond em dizer que todos eles não passam de peças para um plano bem maior (e mais alguém achou que Des pudesse ser atingido pelo pêndulo?).
Ainda assim, detalhes dessa trama ainda chegaram a irritar, principalmente o modo passivo com que Jack aceitou a condição de nunca mais perguntar sobre Aaron. Espero que ele lembre que o garoto é seu sobrinho e ainda um dos Oceanic Six. Ou ele deixou de ser importante assim de repente? Além disso, o bilhete deixado por Locke deveria ser a prioridade número um de Jack antes de tomar qualquer decisão. Ou não passou pela sua cabeça que Locke pudesse passar qualquer outra instrução? Acho também que o bilhete acabou sendo mais irônico do que dramático no final.
Depois de todas essas tramas frustrantes dos Oceanic Six nos últimos episódios, chega a ser engraçado que tudo pareça muito mais interessante agora que todos os outros personagens estão cercados de mistérios. Kate realmente deixou Aaron com a verdadeira avó? Sun despediu-se de Ji Yeon antes de partir? Aquele violão que Hurley carrega pertenceu ao Charlie? Essa prisão de Sayid é alguma armação? Só espero que as revelações sejam dignas dessas expectativas. Mas a maior dúvida gira em torno da figura de Ben todo ensanguentado naquela doca. Tomara que ele não tenha cumprido sua palavra e matado Penny, porque tudo o que ele não precisa é ser transformado em vilão. Ainda mais por estar cada vez mais afiado em suas dissimulações, como ao afirmar que foi ensinado a ler por sua mãe, que todos sabemos morreu após o parto (ou isso teria sido durante as suas aparições na Ilha? hehe).
A viagem de avião foi mais uma vez tensa, apesar da aparente despreocupação com os outros passageiros, principalmente de Lapidus que como piloto poderia dar até meia-volta. Acredito que assim que entraram no "campo" da Ilha, as personagens importantes do avião foram tragados pelo flash e levados para a mesma época que os outros sobreviventes estavam presos. O que deve ser um alívio para os outros passageiros, que após toda aquela turbulência continuariam sua viagem normalmente -- ou nem tanto assim, já que o piloto também pode ter sido "abduzido". O encontro com Jin parece indicar que nesse momento eles já devem estar completamente infiltrados na Iniciativa Dharma. Já li especulações dizendo que assim que Locke usou a roda novamente, os outros sobreviventes deixaram de viajar no tempo e ficaram presos na época em que estavam. Para reforçar isso podemos lembrar da visita de Faraday às escavações da Orquídea, no início dessa temporada.
Pronto, por mais que a pré-destinação dê o tom da série a partir de agora, novamente Cuse e Lindelof conseguiram me convencer das ótimas oportunidades de tramas paralelas para explorar seus personagens. Só espero que toda a equipe saiba aproveitar isso muito bem.

e.fuzii

2 comentários:

Wagner Souza disse...

Confesso, já fui mais fã de Lost do que sou hoje.

Sendo assim, tenho que dizer, ou escrever, que todos os seus comentários são os mais coerentes que li sobre essa quinta temporada, até agora.

Nara O disse...

Concordo plenamente Wagner!