sábado, 4 de março de 2006

[Prison Break] Allen - 1x02

Prezados leitores,
Fui convidado a me juntar ao grupo de comentaristas para falar mais especificamente sobre essa série que tem deixado muita gente roendo as unhas pelo que pode acontecer nos próximos episódios. Vou escrever sobre os episódios, desde o segundo (pois o primeiro já foi comentado) até o décimo terceiro, último a ser exibido. Espero que gostem do seriado tanto quanto eu!


Uma coisa que já se mostra clara nesse início de seriado é que existe muita coisa por trás do crime supostamente cometido por Licoln Burrows. Agentes do serviço secreto americano buscam de todas as formas garantir e acelerar a morte do prisioneiro.

Nesse segundo episódio de Prison Break, Michael Scofield percebe que as coisas serão um pouco mais complicadas do que ele planejava. Apesar de ter ganho a simpatia do diretor da penitenciária, Michael torna-se desafeto do chefe dos carcereiros, Capitão Bellick.
Uma grande disputa entre brancos e negros mostra-se iminente e Michael precisará decidir de qual lado está.
Ao dar início ao seu plano de fuga, de imediato encontra problemas. Para conseguir uma ferramenta, precisa lidar com o perigoso estuprador T-Bag, que exige uma aliança de scofield ao grupo dos brancos, ao passo que para conseguir um medicamento que diminui sua taxa de insulina, o que também é fundamental para o plano de fuga, precisa se aliar a um negro.
No meio de todo esse impasse e sem ficar com nenhum dos dois artefatos, a briga começa.


Durante a confusão, Michael consegue recuperar a ferramenta de um branco e, assim, ganha novamente a confiança do negro e o medicamento. Em contrapartida, T-Bag torna-se seu rival direto dentro de Fox River. Dessa forma, a fuga é retomada.


A situação com John Abruzzi também começa a ficar tensa. Abruzzi precisa de algumas informações que Scofield recusa-se a repassar. Qual a solução encontrada por Abruzzi para conseguir o que quer? A resposta fica para o próximo post.


Por outro lado, a advogada Verônica Donovan começa a acreditar na inocência de Lincoln Burrows. Ela consegue uma fita com a gravação do circuito interno de TV da cena em que Burrows atira no irmão do Vice-presidente dos Estados Unidos.Continuando a procura de alguma evidência da inocência do ex-namorado, Verônica entra em contato com uma possível testemunha. Não obtém muito sucesso, pois essa pessoa, Leticia Barris, tem medo de ser assassinada.

Um fato que nos deixa extremamente curioso é um telefonema que o agente do serviço secreto Paul Kellerman faz para uma mulher. Na conversa é dito o quão importante é a execução de Burrows para esse plano que ainda não temos conhecimento. E o que mais intriga é: quem é essa mulher?


Nos próximos episódios obteremos algumas respostas, mas também muitas outras surgirão. Afinal, é assim que funciona com os seriados de sucesso.

Até lá!

2 comentários:

mariana disse...

Comentários pra Prison Break, que bom!
Adoro essa série, e que angústia esperar pelo 14º episódio...

Apenas Ribas (por ora) disse...

Nem fala Mariana!
Anteriormente até foram feitos comentários p/o ep piloto, maaaaaaaaaas com a entrada do Antonio Marques, PB teve um renascimento