terça-feira, 5 de dezembro de 2006

[Heroes] 1x11 - "Fallout"

De tantas coisas para se comentar deste episódio, começo pela mais triste. É realmente lamentável a morte de Eden. A personagem vinha ganhando destaque nos últimos episódios e Nora Zehetner, além de ser uma graça, fazia uma Eden misteriosa e sedutora, o que combinava perfeitamente com seu poder.

De qualquer forma, é compreensível sua saída repentina da série: como manter uma personagem com o poder da persuasão, capaz de fazer com que qualquer pessoa realize tudo que ela mandar? Eden talvez fosse poderosa demais e lidar com a personagem seria complicado para os roteiristas. Tanto que seu suicídio foi mais do que digno. Se Sylar tivesse adquirido seu dom, seria tão trágico quanto se tivesse adquirido o poder da Claire.





Mas a morte da Eden não foi o único grande evento de “Fallout”. Como é comum a “Heroes”, a trama se desenvolveu com mais informações interessantes, mas em doses homeopáticas, o suficiente para nos manter em expectativa. Desta vez, os roteiristas tiveram a façanha de trazer a tela todos os protagonistas da série, explorando um pouco mais de praticamente cada um deles, exceção feita a Mohinder e Nathan.


Peter, por exemplo, foi o responsável pelos momentos mais intrigantes do episódio. Seus sonhos, até agora, fizeram conexão com acontecimentos do presente, como a morte do pai de Simone e o acidente de Nathan. Desta vez, Peter teve um sonho que revela o futuro: seria ele o responsável pela destruição de Nova York. Possivelmente Peter absorveria o poder de Ted e, instável, acabaria explodindo. Mas é curioso notar que Ted não aparece no sonho, o que pode também não significar nada. O fato é que as habilidades de Peter ainda não estão bem explicadas e espero que os autores saibam o que estão fazendo e que estes sonhos do personagem ganhem uma justificativa lógica e que não sejam apenas formas de inserir elementos na trama.





Seja como for, tudo indica que Peter entrou em colapso, não se sabe se graças aos seus sonhos ou a seu contato com Matt, que foi outro momento interessante. A tentativa de Matt em ler os pensamento de Peter, ao mesmo tempo em que este absorvia seus poderes, provocou ruídos e interferências a ponto de afetar negativamente em ambos. Peter ganhou de Matt até mesmo suas dores de cabeça (dores que, acredito, ainda serão exploradas no futuro).


O episódio trouxe também mais informações sobre Mr. Bennet. Pela primeira vez pudemos comprovar que ele faz parte de uma organização e que recebe ordens superiores. Seu confronto cara a cara com Sylar não foi tão empolgante como eu esperava, mas sua resistência em não permitir que Eden matasse aquele que tentou assassinar sua filha é mais uma prova de que Bennet tem boas intenções, mesmo agindo de forma duvidosa. A traição do haitiano certamente irá estragar seus planos, e é interessante notar que ele já vem apagando a memória de Claire e sua família há algum tempo. É possível que Claire tem passado a vida toda manifestando seu poder, sempre descobrindo e sempre tendo sua memória deletada. O que ela fará com essa informação e quais os planos do haitiano são dúvidas que aumentam ainda mais a expectativa para o que virá.






Outro encontro entre superpoderosos ocorreu entre Hiro e Isaac. O japonês ensinou seu truque de se concentrar (sempre engraçado) e Isaac finalmente conseguiu manifestar seu dom sem a ajuda das drogas. O que ele pintou, no entanto, é uma daquelas imagens que assombram, tanto pela expectativa que gera, quanto pela preocupação de os roteiristas “viajarem demais na maionese”. De qualquer forma, Hiro nos empolga com seu “I really need to find that sword”.






Bem menos interessante foi a participação de Niki/Jessica, D.L. e Micah. Foi um confronto frustrante, mal executado e desenvolvido. A facilidade com que Niki voltou a ter domínio sobre Jessica foi um daqueles momentos “o amor de uma mãe supera qualquer coisa”. Ainda não ficou claro se o caso está mais para uma dupla personalidade ou se Jessica tem super força. Sua saída da prisão talvez nos dê uma idéia disso.



Episódio muito bom, mantêm o nível da série, embora não cause o impacto que se poderia esperar de um “fall finale”. Nota 8,5.



No próximo episódio: Infelizmente a série tem um intervalo que vai durar até o dia 22 de Janeiro. Os autores prometem grandes emoções e reviravoltas envolvendo determinados personagens (Mr. Bennet, por exemplo, e seu mais novo aliado). O fato é que terão que se esforçar muito, já que no ano que vem “Heroes” terá concorrência de peso na disputa por audiência: Jack Bauer está de volta no dia 14 de Janeiro.


Hélio.

5 comentários:

Bruno Carvalho disse...

Excelente blog, muito detalhado! Já está no meus favoritos. Passe sempre no Falando Série e comente lá conosco! Falow!

Anita disse...

adorei o episodio. nao acredito que o peter explodira por culpa dele mesmo, mas tb nao tenho nenhuma teoria a respeito.
fiquei decepcionada com a morte da eden, e por terem apagado a memoria do amigo nerd/gay/whatever da claire (tao bonitinho). anyway.
ateh janeiro.
nao me diz que heroes e jack bauer serao na mesma hora.
odeio a fox.

Rubens disse...

Helio, duas observacoes:

1. Nao foi a tentativa de Matt em ler os pensamento de Peter, ao mesmo tempo em que este absorvia seus poderes, que "provocou ruídos e interferências a ponto de afetar negativamente em ambos". Na verdade a estática era apenas o haitiano interferindo, para que Matt nao lesse a mente de Claire e do pai. Matt ja tinha passado pela mesma situacao de interferencias quando foi sequestrado, ele mesmo diz isso no capitulo.

2. Nao se esqueça que o Sylar tem o poder de entrar no sonho/pensamentos/whatever dos outros. Pode ser que toda aquela cena do Sylar com a Eden tenha sido apenas ele invadindo os pensamentos dela. Neste caso, na verdade aquela cena nao teria acontecido e ninguem morreu ali.

Rubens

Comentarista Hélio disse...

Oi Rubens,

1. So revendo o episodio, mas naquele momento entre Matt e Peter creio que o haitiano ainda nao estava lá, já que a Claire tb nao estava. Se ele estivesse, Matt e Peter nao conseguiriam ouvir absolutamente nada. A interferencia do haitiano nao provoca ruidos na capacidade do Matt, e sim bloqueia total, fica um silencio "ensurdecedor". Acredito que a interferencia tenha sido a manifestação do poder do Peter mesmo.

2. Essa é uma possivel teoria a respeito de Sylar. Imagino que ainda permanecera um misterio o funcionamento de seu poder, ja que ate a organização que o Mr. Bennet faz parte está curiosa a respeito disso.

Um abraço!

Marcelo Moorfo disse...

Muito bom episódio.
Os comentários estão excelentes!!
Creio que o haitiano não apagou a memória da Claire, por achar importante que ela saiba dos seus poderes no futuro. Mas o porquê disso por enquanto isso é um mistério.
Abraço e até janeiro.