sábado, 24 de fevereiro de 2007

[Heroes] 1x16 - "Unexpected"

Uau. Depois de quatro episódios seguidos que desafiaram a credibilidade dos roteiristas da série, com um desenvolvimento lento (e muitas vezes ruim) da trama, “Heroes” finalmente retorna à boa forma. O título do episódio é “Unexpected” e talvez o mais inesperado tenha sido essa qualidade súbita e necessária no arco final da temporada. Para ser sincero, eu não me empolgo tanto com “Heroes” desde os cinco primeiros capítulos da série. Tudo funcionou perfeitamente no episódio. Ou quase. Mas chegaremos lá.


Logo no início, antes mesmo do “previously”, tivemos a tão famosa seqüência (existente no Youtube há semanas) em que a nova, misteriosa e necessariamente morena Hana Gitelman, vulgo Wireless, encontra Ted. Também já sequestrada e marcada por Bennet, Hana é uma espécie de internet ambulante, poder realmente interessante que bota a falecida Charlie no chinelo – quem precisa memorizar e aprender algo quando se pode acessar o Google?


Hana e Ted: Search & Destroy

Hana propõe a Ted ir atrás de seus sequestradores e o episódio tem início com a boa frase de efeito: “Eu posso encontrá-los e você pode detoná-los”. É o motivo perfeito para que Matt finalmente faça parte do núcleo central da história. O trio, ao final, coloca Bennet contra a parede e a promessa é de que no próximo episódio muitas informações sejam reveladas.


Mr. Bennet, por outro lado, antes de ser confrontado pelo trio, precisa enfrentar a fúria de Claire, que praticamente denunciou o haitiano para o pai. Será que Bennet terá a memória apagada também? Seja como for, Claire se rebelando contra ele é fruto do que vínhamos acompanhando em episódios anteriores, culminando na destruição da memória de sua mãe adotiva. É prova que os autores prepararam o terreno cuidadosamente: dificilmente Claire não se juntará ao grupo de Matt, em busca de respostas.


Peter e Claude retornam depois do sumiço do episódio anterior, e em grande estilo. Peter parece realmente absorver permanentemente o poder de quem ele encontra e as demonstrações de auto-controle dele sem dúvida foram os momentos mais “cool” do episódio. Também gera muitas perguntas interessantes: o que aconteceu quando Peter esteve em contato com o Haitiano? Afinal, um bloqueia e o outro absorve poderes. Um anularia o outro? Peter conseguiu usar seus poderes na presença dele, assim como Nathan. Talvez o dom do Haitiano ainda não tenha sido explicado totalmente. Outra dúvida que me veio a cabeça é se Peter teria absorvido também o poder da Eden, que ele encontrou quando visitou Mohinder pela primeira vez. A voz que ele faz quando exige a verdade de Isaac se assemelha muito a voz da Eden quando esta usava seu poder de persuasão.


Enfim, insisto em dizer que Peter é poderoso demais para permanecer por muito tempo na série e sua morte é bem possível no final da temporada. Ou os roteiristas terão que achar outra solução, que pode muito bem ter a ver com a cicatriz que ele vai ganhar citada pelo Hiro do futuro, ou a possibilidade já anunciada por Mohinder de se isolar a mutação genética e eliminar suas habilidades.


Super Peter fazendo algo inesperado.

De qualquer forma, seu encontro com Isaac deu uma leve demonstração de que Peter pode estar perdendo a sanidade e se voltando para o mau. A primeira conseqüência é a inesperada morte de Simone, que sem dúvida mudará muita coisa, e de cara a relação entre Isaac e Peter. É bem verdade que Isaac não tinha os motivos mais nobres em querer atirar em Peter, mas foi Peter o principal responsável pela morte de Simone. Também é bom lembrar que Simone está no sonho de Peter em que ele destrói a cidade. Ou as coisas já começaram a ser alteradas, ou Simone não morreu. Muita gente vinha apostando que a personagem desenvolveria alguma habilidade e que teria parte mais importante na trama. Mas se de fato morreu, é um pouco frustrante que tenha sido ela a personagem que os autores há muito anunciam que iria deixar a série. Ou mais algum protagonista irá morrer?


Fim trágico do triângulo amoroso?

Em relação a Claude, fiquei decepcionado em saber que ele apenas foi um dos heroes sequestrados e marcados por Bennet. Esperava que ele tivesse alguma relação mais profunda com a Organização, mas parece que é só.


Enquanto isso, Sylar continua colecionando poderes. E eu nunca gostei tanto do personagem quanto neste episódio. É impressionante seu cinismo com Mohinder. A vítima da vez foi Dale Smither, uma senhora com super audição. Mais do que uma habilidade interessante, havia uma excelente atriz. É uma pena que a participação tenha sido tão rápida. Assim como Charlie, gostaria de ver mais sobre Dale na série, o que infelizmente não será possível. A trama serviu também para mostrar que Sylar não tem controle absoluto dos poderes que rouba, logo de primeira. Quem sabe não seria ele a explodir Nova York? Espero estar errado. Gostaria muito de ver Sylar na próxima temporada.


Dale e o som da morte.

Nem tudo funcionou perfeitamente no episódio. Hiro continua sendo alvo das piores idéias e a conclusão da trama iniciada no episódio anterior foi ridícula. Foi um tiroteio tosco e que só serviu para deixar um mistério: Hiro conseguiu usar sua habilidade para se salvar do tiro? A impressão inicial é que ele teria voltado e congelado alguns segundos no tempo, mas apenas aquela situação envolvendo os três (ele, Ando e Hope), enquanto a polícia chegasse. Mas isso não faria com que Hope sentisse a pressão da bala voltando para o revólver. Então o que realmente aconteceu? Talvez algo de interessante saia daí.


Embora a trama envolvendo Hiro tenha sido muito mal escrita até agora, o propósito foi alcançado: separá-lo de Ando. Não acredito que a participação de Ando tenha acabado aí, mas espero que os roteiristas não percam tempo com histórias paralelas. Na despedida entre os dois, a participação ultra-especial de Stan Lee, autoridade máxima em super-heróis. É prova que os autores não escondem que bebem na fonte das HQ´s, em especial dos X-Men.


Hiro e um convidado inesperado: Stan Lee, Marvel King.

Episódio muito bom, empolgante, prepara o terreno para muitas revelações e no percurso nos brinda com situações importantes envolvendo os personagens. Nota 9,0.


No próximo episódio: A situação literalmente pega fogo na casa dos Bennet. Afinal, Mr. Bennet é good guy ou bad guy?



Hélio.

4 comentários:

Comentarista Dani Mística disse...

Mr Bennet é do bem!! Eu adoro aquele homem, assim como o Mohinder (nhé, eu gosto dele sim!)

Eu acho que Hiro "recuperou" os poderes, mas enfim, foi uma cena apressada. Incrível como eles saem incólumes das situações.

Peter é do mallll, cara metallll

-> Gostei dos comentários nas fotitas :P

Comentarista Dani Mística disse...

*** mau

Kaoe disse...

Como assim o Isaac querer matar o Peter não foi uma atitude nobre? O cara acreditava que, pelas suas próprias pinturas, Peter seria aquele que destruirá NY. Tentar matá-lo seria um ato de coragem para salvar a cidade...

Comentarista Hélio disse...

Kaoe, concordo contigo. Na verdade eu nao me expliquei no texto. Acredito que o Isaac estava agindo mais por ciúmes da Simone (ou rancor) do que por achar que estava fazendo o certo.