sexta-feira, 7 de março de 2008

[LOST] 4x06 The Other Woman

Era de se esperar que o episódio dessa semana não fosse manter o mesmo ritmo alucinante do anterior. Nem era o que esperava, já que as histórias de Juliet tendem a mostrar um lado mais humano dos Outros, demonstrando suas falhas e seus anseios. E dessa vez não foi diferente, mesmo que para uma personagem tão intrigante quanto Juliet tenha sido um episódio decepcionante, embora ainda assim melhor que o do flashforward da Kate. Afinal, não dá nem pra levar a sério uma personagem que desconfia de alguém, mas dá as costas para ser atingida na cabeça.
Já me decepcionei desde a primeira cena, quando Juliet conhece sua nova terapeuta. Quando imaginava que Liz Mitchell teria firmado contrato vitalício com Lost, Tom entra pela porta e acaba com as chances da cena estar acontecendo no futuro fora da Ilha. Porém, o grande problema de seu flashback foi a tentativa de aprofundar o personagem de Goodwin, morto desde a segunda temporada, revelando que seu relacionamento com Juliet era um adultério. Essa situação serviu para duas razões:
1) Desenvolver a atitude obsessiva de Ben por Juliet: convenhamos que existiam milhões de formas mais interessantes de contar sobre isso. A contribuição nesse caso foi no seu desfecho, o beijo morno de Jack em Juliet, que condenaria o doutor a um destino semelhante ao de Goodwin. Mas como Jack é um dos Oceanic Six, é óbvio que Benjamin não conseguiria chegar aos finalmentes nesse caso, a não ser com algum ente próximo. Espera, alguém falou o nome de Claire?
2) Introduzir a terapeuta Harper: com todos os Outros que conhecemos mortos e Richard Alpert preso em um canavial da Flórida, a solução foi introduzir Harper para ser a mensageira de Ben na floresta. Sendo ela ou o nosso amigo Lostzilla, tinham de mandar justo Harper para fazer uma aparição para Juliet? Pior que tivemos outra recapitulação ridícula do acidente do 815, simplesmente para mostrar que Harper sempre esteve lá, só não havia assinado os termos de direito de imagem com o seriado (situação parecida com todo o flashback de Paulo e Nikki na temporada passada). E não duvido nada que sua próxima aparição seja para morrer.

O título logicamente faz um trocadilho com o grupo dos Outros e a situação de Juliet como amante de Goodwin. No entanto, para mim o significado é muito mais profundo quando olhamos para a relação entre Ben e Juliet. Harper durante uma das sessões de terapia revela que o motivo para Benjamin ser tão bondoso com Juliet é sua semelhança com "ela". Conhecemos pouco da história de Ben, mas a única que poderia ser essa "outra mulher" é Annie, apresentada como sua paixão de infância em "The Man Behind the Curtains".
No alto de seu egoísmo e obsessão, Ben grita "Você é minha!" para uma Juliet completamente devastada pela morte de Goodwin. Mas essa reação explosiva não parece condizer com um personagem calculista como Benjamin Linus. E ele mesmo percebe isso. Ele pára, pisca e pondera sobre seu ato, retomando então seu tom calmo ao falar com Juliet. O que só pode significar que ela não é a razão de sua obsessão, mas sim aquela "outra mulher". Se for mesmo Annie, o mistério fica em sabermos o que aconteceu com ela após a Purgação, levando em conta que Harper parece ter conhecido-a e ela teria de crescer para ter alguma semelhança com Juliet.
Por falar em Purgação, conhecemos a escotilha Tempestade, onde Dan Faraday precisa neutralizar o gás letal que foi usado naquela época. Com isso impediria que Ben não apelasse para esse ato novamente. Essa foi a razão de Juliet ter sido mandada para impedir Dan, mesmo que não soubesse disso. Com um excesso de mistério mal explicado, só espero que essa escotilha tenha importância ainda maior para compensar esse clichê máximo da contagem regressiva (ainda mais sabendo o destino de Jack e Kate que estavam ali perto).
Por outro lado, Benjamin consegue sua liberdade e uma possível aliança com John Locke, após mais uma vez duvidar de suas noções de liderança, que aliás foram questionadas até por Claire. Tudo que ele precisou foi revelar a identidade por trás da expedição do cargueiro: Charles Widmore. Talvez seja falta de costumes, mas não estou gostando muito dessa operação extensiva de "tapa-buracos", com revelações às vezes até forçadas.
No entanto, é por tudo isso que Ben Linus tomou para si os holofotes do episódio. Merecidamente, já que ainda posso destacar dois outros momentos realmente ótimos:
– Esse não tinha um número, tinha? – a respeito do coelho preparado por Locke;
– Eu gravei por cima do jogo. – sobre a fita do Red Sox, mostrada para Jack ainda na Hydra.

Agora livre, leve e solto, Ben volta a ser a ameaça que conhecemos, mas pelo menos a equipe de Locke agora parece ter um plano (ou vários, talvez). Já sabemos que não vai envolver uma nova Purgação, então, o que ele poderia ser capaz contando apenas com um espião no cargueiro? Provavelmente, muita coisa.



e.fuzii

13 comentários:

Hélio disse...

Uma pena mesmo este episodio. Juliet é uma de minhas personagens prediletas.

Praticamente nada se aproveitando deste episodio, fica a pergunta: Como Ben conseguiu se comunicar com Harper? A proposito, ela diz que Ben está exatamente no lugar onde queria estar. Mesma fala do Miles dois eps atras.

E repetindo aqui a minha duvida que postei na comunidade: Por que diabos a Charlotte ainda nao avisou ao pessoal do barco que lá ha um infiltrado do Ben?!

Antonio Correa disse...

Socorro !!! que volte o antigo comentarista de Lost, e já...
Esse Fuziili mais parece um cronista social de algum jornaleco do interior.
Muita fofoca e pouco conteúdo.

Danielle Mística disse...

Quero me banhar na água de Juliet. Mulher sedutora. Ben, Goodwin, Jack...(meu coração jate parou)

Por incrível que pareça gostei muito deste episódio. Justamente pela calma, pelo dito e pelo não dito.

O homem de Ben acho, é Michael, não consigo realmente pensar em outra pessoa agora.

Bom, tb achava que Widmore estava associado à ilha de alguma forma, mas não a Ben, me parecia claro devido a foto que Naomi carregava de Desmond. O diário então deve ter a localização exata da ilha, ou algum elemento que fará Widmore "vencer" esta guerra com Ben.

Aquele ponto que a maioria de nós já tínhamos falado se concretiza de alguma forma. Parte dos Losties vão se unir a Ben para defender a ilha.

Minha outra teoria refere-se aos sussurros que sempre associei aos Outros e, para mim, continuam pertencendo a eles, mas sob a chancela de Jacob/Lostzilla, à serviço, ou comandando, Ben Linus. São aparições contundentes que mexem com a psiquê do povo. Sheppard, Walt, Yemi, Harper, e, ouso dizer, pai de Locke, o nosso verdadeiro Sawyer. Todos imbuídos de culpa cristã, algozes dos que carregam esta culpa.

No mais, o nome do episódio é uma referência em si. The Other Woman refere-se a um livro de uma espiã sedutora na 2a Guerra Mundial, como também a própria instituição The Others, como ainda a amante de Goodwin, como ainda, aquela sempre amada por Ben.

Juliet realmente tem um lado: o dela.

Sim, continuo pirando no nome do episódio. Juliet é a Outra Mulher em muitos sentidos: A personificação de Sarah para Jack e de Annie para Ben. :P

Widmore levou Desmond a ilha? Precisamos urgentemente de um FB de Libby.

Cenas legais:
-Ben e a fita do Red Sox: "Gravei por cima" HAHAHAHAHAHAHA
-Mapa da ilha de faraday, que mais parecia os mapas de Tolkien em "Senhor dos Anéis".
-Juliet na frase do dia: "Estressante ser um dos Outros".
-Rever a simpatia de Tom, a cara e a voz dos Outros por muito tempo para nós.

Anônimo disse...

Concordo com o anonimo anterior. Fica procurando pelo em ovo, e critica umas coisas non-senses. O cúmulo foi falar que eles (os roteiristas) fizeram mal em tentar colocar Harper como parte integrante da trama, refazendo a cena da queda do avião da terceira temporada. Isso é uma qualidade da série, e não um defeito. A forma que eles fazem a recapitulação e o presente se encaixarem é uma das maiores e mais marcantes qualidades de Lost.

blackstar disse...

Concordo com seu comentário inicial sobre o episódio, Fuzii. Além do mais, acho esse episódio melhor que o centrado na Kate, que de importante mesmo, só o final. Esse episódio foi coerente e constante, enquanto que o da Kate teve umas saídas tão mal elaboradas que fora difíceis de engolir, como o acordo que ela fez. E, realmente, não dá pra respeitar uma personagem que dá as costas aos supostos inimigos.

Outra coisa que certamente estragou a apreciação do episódio foram os spoilers (o único spoiler que eu sei é quem são os Ocean Six, então isso estragou a abertura do episódio), e as próprias especulações dos telespectadores. O fato de muita gente supor que Charles Widmore estaria por trás da expedição no barco tirou o impacto da descoberta, quem está longe da Internet e de toda a comunidade Lostiana deve ter se surpreendido, mas é de esperar que as pessoas acertem algumas coisas da trama. Por isso que às vezes eu tento não especular sobre o que vai aocntecer, mas não consigo...

Sobre os pontos destacados, eu não tinha pensado na possibilidade do Ben atacar o Jack através da Claire, acho que é bem plausível, boa teoria. Certamente Ben sabe do parentesco entre os dois por causa das informações colhidas. E quanto ao segundo, se o ator que interpreta Richard Alpert não estivesse comprometido com outra série, caberia a ele o papel de informar Juliet sobre os planos de Ben, mas acho mais intrigante saber como o Ben se comunica com os Outros.

Eu aposto meu estoque Dharma que a "ela" a quem Harper se referiu é a Annie, e aposto minha cabana na praia que Annie morreu por estar grávida e a gravidez ter sido desenvolvida na ilha. Daí a obsessão do Ben com mulheres grávidas. Esse episódio só reforçou essa idéia que eu tenho desde... nem lembro quando :p

Hélio, sobre a Charlotte, acho que ela não avisa porque ela não se importa com os motivos de Charles Widmore tem para chegar à ilha, mas sim com os motivos dela mesma, que não tem nada a ver com os propósitos de seu "patrão". E talvez, avisando ao pessoal do barco sobre o espião, isso faria com que outras pessoas do barco fossem mandadas à ilha, e talvez elas atrapalhassem os planos dela (e os de Faraday).

Momento mulherzinha: sou mais o beijo morno entre o Jack e a Juliet que qualquer cena Jate.

Allan disse...

O episódio poderia muito bem se resumir a revelação de que Charles Widmore enviou o cargueiro. Eu não sentiria falta do resto...

O infiltrado, só pode ser o Michael. Não me vem a mente mais ninguém que justificaria tanto suspense. Além do mais, a ajudinha que Sayid e Desmond receberam praticamente confirma que ele é o infiltrado.

Danielle Mística disse...

Cara Antonio,
Qual a razão dos ataques? Não vi sequer qualquer argumentação de sua parte. Não percebo a tentativa de um debate, de levar o outro a pensar de outra forma. Não vejo divergência de pontos de vista, apenas ataques. Onde estão suas próprias teorias e análises dos episódios?

Me faz pensar algumas coisas. Primeiro, ou o senhor não tem o que falar e vem até aqui e tb no outro blog, para tentar desesperadamente "ouvir" uma opinião e poder citar para os seus. Ou, quem sabe, talvez, alguma pendenga com Fuzii.

Ninguém vai voltar, ninguém vai sair, como "sócia proprietária" deste espaço, afirmo que isso não vai acontecer. Fuzii tem a sua visão de Lost e essa visão é publicada aqui. O que o senhor poderia fazer? Juntar-se a nós num debate de idéias, ou, fazer o favor de se comportar como alguém civilizado e se abster de tecer tais ataques, ou então, que os faça com suas idéias, com seus argumentos, e não "pegando" para si citações descontextualizadas de blog alheio.

Ou ainda, que exercesse seu lado masoquista em lugar mais apropriado, em sã consciência, ninguém freqüenta um lugar no qual não gosta do que lê/vê.

Obrigada

Rubens disse...

Eu prefiro um zilhao de vezes os comentarios do Fuzii, que sao muito mais adultos e ponderados, do que os comentarios abobrinha "oba!oba!oba! Oi gente, é Lost, eu amo Lost, é Lost sabe? Jack e Kate, ai-ai, Oba!Oba!Oba!..."

[ ] Rubens

e.fuzii disse...

"Concordo com o anonimo anterior."
HAHA! Esse Antônimo já virou figura folclórica deste blog. Só ele mesmo para não lembrar que assinou seu outro comentário com seu "nome".
E acho que não tem nada de pessoal, eu pelo menos nunca cheguei perto do Distrito Federal...

Mas voltando à programação normal.
Então, não acho que o episódio, apesar de todos os seus erros, tenha sido perdido. Achei até bastante agradável e talvez até melhor se não tivessem pedido tantas 'licenças'.
Se por um lado achei interessante também essa lembrança levantada pela Dani de que Juliet serviria como substituta de Sarah, por outro lado chega a ser patético que ela se sujeitasse a ser a "outra" por tantas vezes.

Em relação aos motivos de Charlotte, concordo com a Marcelle, e fora os lances de sobrevivência (como a neutralização do gás) cada um deles tem objetivos próprios para chegar à Ilha. Como é caso de Miles, que vai além (arriscando o objetivo principal da missão) propondo uma negociação com Ben.
Gostei também de sua teoria sobre a gravidez da Annie, Marcelle. E talvez essa obsessão caminha junto com outra: seu desejo por ter uma filha, personificado em Alex. Haja obsessões...

Márcia disse...

Olha gente, embora eu não concorde com os métodos do Antonio, eu também acho que já tivemos comentaristas melhores de Lost.

Danielle Mística disse...

Pois é, Márcia. O "Antonimo", Antonio, Anônimo e vc usam o mesmo computador? Estranho...mesmo ip.

Anônimo disse...

Tu estás ficando paranóica Danielle, já te aconselhei a largar o copo.

Danielle Mística disse...

**boceja

Fuzii, vc está ficando irresistível! Virou lenda o nosso caro IP de Brasília. Nós agradecemos por agitar os comentários, até pq estou esperando até hoje as análises dos episódios...