sábado, 9 de fevereiro de 2008

[Filme] 4 meses, 3 semanas e 2 dias


Um soco no estômago. Ver esse filme causa um profundo desconforto, uma sensação desagradável. Não é fácil, se você é mulher então, será mais difícil ainda, nuances que somente quem tem o poder de gerar filhos pode compreender.

Trata-se de um filme romeno desprovido de qualquer artifício e artificialismo. Não há trilha sonora durante, não há enquadramentos elaborados, pouca luz, câmera seca e nervosa. Incomodo em cada cena, duro, direto, cruel.

A gravidez indesejada e o aborto são abordados pela perspectiva do sofrimento. Do peso de decisões difíceis, de se viver num país burocrático, moralista, corrupto e que poderia ser em qualquer lugar do mundo...Mas é a Romênia comunista de 1987, sob a ditadura de Nicolae Ceauşescu, que dois anos depois, acabaria. E esse país a beira de uma mudança, em frangalhos e decadente, que se passa a história.

Reprodução

Não somos poupados de nada. Desde a crueza da cena do aborto em si, com a minuciosa descrição/ação do procedimento, ao feto enrolado na toalha ensagüentada. O submundo do aborto e do papel da mulher são mostrados sem sutilezas. Assim como a hierarquia de uma sociedade que deveria ser, em tese, sem classes. A opressão está em todos os níveis.

4 meses...ganhou a Palma de Ouro em Cannes no ano passado e concorreu ao Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro.

É para ver esperando uma porrada. Saí do cinema perturbada, mas convicta de ter visto um filme excepcional.

Danielle Mística









Ficha Técnica:

4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias
4 Luni, 3 Saptamini Si 2 Zile
Romênia, 2007 - 113 min
Drama

Direção e roteiro:
Cristian Mungiu

Elenco: Anamaria Marinca, Laura Vasiliu, Vlad Ivanov, Alexandru Potocean, Ion Sapdaru

Resumo: Otilia (Anamaria Marinca) e Gabita (Laura Vasiliu) dividem um quarto num dormitório estudantil, nos últimos dias do comunismo, no ano de 1987. Elas estudam em uma universidade de uma pequena cidade na Romênia. Gabita está grávida e o aborto é ilegal no país, mas Otilia irá ajudar a amiga, alugando um quarto num hotel barato e chamando um certo Sr. Bebe (Vlad Ivanov) para resolver o problema. Porém, ao saber que Gabita está com a gravidez mais adiantada do que imaginava, Sr. Bebe aumenta as exigências para o serviço. Ele cobra um preço que as duas não estão preparadas para pagar.
(Retirado de Interfilmes)




3 comentários:

e.fuzii disse...

De fato é um filme devastador, que chega a te deixar deprimido por algumas horas.
Talvez analisando a monstruosidade dos atos, ao mesmo tempo que questionando até onde concordaríamos com tudo isso.
Para mim, uma das características mais interessantes do filme é como a direção lida com o ritmo do filme. Temos um excesso de paciência em algumas cenas (como no aniversário da sogra de Otilia), preocupando-se com os métodos e às vezes até mostrando inutilidades. Tudo isso intrigando cada vez mais a todos nós.
Logo depois já somos surpreendido com verdadeiros "turbilhões", com câmera seguindo as personagens e mostrando toda a pressa em seus atos.

Filme brilhante, infelizmente esnobado pelo Oscar.

Hélio disse...

Eu nao sou tao empolgado com o filme, nao.

Na verdade, um dos grandes problemas a Dani citou: a falta de sutileza. Parece que o diretor está atras do choque a partir de algumas situaçoes um pouco mao pesada demais pro meu gosto.

Discordo quanto ao "não há enquadramentos elaborados", pq tudo me parece muito bem pensado e calculado pra chocar.

Mas gosto muito da parte inicial, mostrando a rotina daquele bando de universitarios vivendo sob ditadura, e a gente meio perdido sobre o que diabos está acontecendo. O tal Sr. Bebe tb é assustador, mas aí aquele estupro consentido, uma atras da outra, foi um exagero.

A cena do jantar, como disse Fuzii, tb acho um espetaculo, mas aí vem novamente a sessao tortura, com close em feto e a descida final ao inferno.

Enfim, acho que ha um esforço nada louvavel em se chocar atraves de tecnicas um tanto baratas, mas no geral é claro que está bem acima da media. So nao esta entre meus melhores do ano.

e.fuzii disse...

Helio,
Eu posso até estar enganado, mas não acho que elas foram estupradas uma em seguida da outra. O tal Sr Bebe estava mesmo testando até onde a amizade de Otilia chegaria.
E embora também ache que o filme seja chocante, não vejo como ponto negativo. Aliás, algumas cenas, como a própria cena do estupro ou o aborto propriamente dito, são levadas de uma forma "sutil", deixando você na companhia da outra personagem (o que às vezes é até mais cruel).
Esse é um dos pontos que me fazem crer que esse filme não trata exatamente do aborto, mas sim de toda a opressão que as duas (e grande parte do povo romeno) sofrem naquele regime. Mesmo sendo contra o aborto (ainda mais estando na metade da gestação), o filme me ganhou justamente por não ter sido capaz de julgar uma única vez o ato das duas.