sábado, 30 de maio de 2009

[CRIMINAL MINDS] 4x25-26 "To hell... and back"




O episódio termina com um cliffhanger bem bacana para a próxima temporada. Bem bacana! Envolve aquele que foi um dos unsubs mais interessantes dessa season, Foyet (um onívoro, de quem podemos esperar tudo) e Hotch (aquele que parece ser a figura mais inabalável da equipe). O que foi aquele tiro, realmente não dá para dizer. Tudo é mera especulação. E também nem me importo tanto. O que importa é que o gancho me parece promissor por envolver duas figuras que respeito muito, numa situação de muito suspense e de uma carga emocional imensa.

As palavras de Hotch para fechar o episódio foram muito boas e destaco, em especial, a indagação que ele faz sobre os membros da equipe e “por quantas vezes eles ainda conseguirão ‘olhar para dentro do abismo’? quantas vezes até que eles não mais consigam recuperar os pedaços de si que o trabalho retira?”.


Isso é uma verdade muito dura, que exige respeito e reflexão e que, inevitavelmente, nos remete ao episódio piloto (1x01) e à citação final de Gideon (When you look long into an abyss, the abyss looks into you. – Nietzsche). Como resistir, indefinidamente, ao olhar do abismo para dentro de si??

Enfim, acho que temos motivos para crer que a quinta temporada tenha um bom começo, mas, como ele será, não me importa agora. Por hora, me basta essa ansiedade positiva, essa fé que ficou e que levarei até o 5x01, e que se sobrepõe esse fraquíssimo season finale. Fraquíssimo!

Mas, como é inevitável, falemos dele..

O episódio serviu para nos dar a certeza que a série optou por passar a fazer "pseudo-homenagens" ao que já se criou antes. Depois dos que eu já citei nos últimos episódios (“Melhor é impossível”, “Arquivo X”, ...) agora é a vez de “Hannibal”. Pois é, a audácia não tem limites.


O unsub da semana é uma figura grotesca, tetraplégico, que cria porcos e os alimenta com o corpo das vítimas. As bocarras ferozes e repulsivas em ‘close’ para imaginarmos o estrago que elas causarão, até o reconhecimento da voz para ativar telefone, computador, tudo já estava lá em 2001, no filme “Hannibal”. Até mesmo os nomes foram escolhidos para causar.... para causar não sei o que. Em mim, irritação. O fato é que a vítima de Lecter que queria vingança era Mason Verger e aqui temos Mason Turner!! Eu não consigo entender o que se quer. Mais uma vez, vergonha alheia de quem escreveu isso tudo!


Mason Verger...




... e seus porcos.



Mason Turner...



... e seus porcos.

O episódio copiou até a própria série. Fiquei me lembrando do detetive com TOC (Legacy - 2x22) que era ridicularizado por achar que pessoas de rua era vítimas de um serial killer e ninguém acreditava (“essas pessoas desaparecem mesmo, não criam raízes, bla bla bla...”). Acho que até as frases eram as mesmas!

(Eu poderia até falar dos sapatos - agora já falei! - que mais me lembraram as cenas do desperdício com as doações para as vítimas da enchente de Santa Catarina, que vimos na imprensa essa semana...)

A equipe esteve bem, dentro do que o roteiro permitia. Rossi muito bom na tortura psicológica ao unsub. Morgan, aquele que em 27.08.08 (!) eu apelidei de Rambo porque lá no 2x22 (!!) já tomava a direção de veículos em movimento, foi muito duro com a detetive que não investigou os casos. Não tem a cara dele. Garcia, às lágrimas diante do conteúdo do laptop do unsub, ótima e coerente com a personagem. JJ, well... é a JJ. Prentiss eficiente nas buscas, Reid eficiente na análise do segundo unsub. Hotch liderando como sempre. Sempre mantendo o foco da equipe.

Mas isso não basta. A série está em dívida com o público. E acho que essa pausa será providencial, ou para que eles se reposicionem, ou para que eu recarregue meus estoques de paciência e tolerância.

Vamos com fé.
Até a próxima temporada!
Célia.

5 comentários:

jackie disse...

Então, chegamos a nossa SEASON FINALE.

O que falar dela? Como você mesmo disse tivemos "pseudo-homenagens" e SK querendo ser bonzinhos ou tentando justificar seus crimes.

Eu gostei do episódio, mas não tivemos um unsub cruel e acho que isso, faz falta as vezes. Na vida real nem sempre os criminosos são vítimas, muitos são cruéis e sem escrúpulos e isso, poderia ser mostrado.

O desfecho é intrigante e nos deixa com o gosto de quero mais. Será que Foyet atirou em Hotch???

Essa resposta só teremos no episódio 5x01, isso se não houver uma enrolação e só descobrimos no episódio seguinte 5x02. Olha, eu querendo matar os fãs de angústia. Bom, não seria nada mal, né?!

Enfim, chegamos ao fim. Agora só daqui alguns meses.

Forte abraço e tudo de bom!!!

Jackie

Lee disse...

Opaaa!! finalmente o aguardado coentário da Célia.Mas, Célia, na minha opinião, tão pertubador quando a citação "nietzschiniana" sobre as consequências de se olhar para o abismo, mas muito mais perigoso para toda a equipe, foi uma coisa que, se não me engano, um padre disse em um epi que tbm já não me lembro; de que ao lidar com esse tipo de criminosos, esse tipo de mal, eles inadvertidamente, inocentemente convidam esse mal a invadir( fisícamente, acho) as suas vidas pessoais.E nisso há uma relevante coerência, já que Garcia e Elle, já foram fisicamente atingidos por esse mal.E agora, concretizando o aviso e vaticínio daquele padre, Hotch se vê cara a cara com esse mal, não no exercício de seu trabalho, mas no interior do seu próprio lar.O aspecto dos porcos te lembrou o filme do canibal; mas naquele filme a finalidade do algóz do Lecter era vingança, faze-lo sofrer, e não dar fim a um corpo sem deixar vestígios.Os porcos me lembraram muito mais o filme "Pérolas e porcos" de Guy Ritchie( o ex da Madonna), onde o vilão que usa esse método para se livrar de corpos dá uma verdadeira "aula" de como os suínos comem de tudo e não deixam sequer o menor vestígios depois de fazerem o serviço completo.Mas, o gancho que deixaram para o 5x1 foi sim muito interessante.

Celia Kfouri disse...

Olá, Jackie!

Será que nos deixariam na angústia até o 5x02?? Bom, espero que não. A menos se for para termos uma espécie de flash back do Foyet. O 5x01 nos mostraria o que ele andou fazendo até agora, inclusive o que ele fazia enquanto a equipe caçava o Mason Turner, e terminaria com a mesma cena final, mas do ponto de vista dele. Ele, dentro da casa do Hotch, esperando pela sua chegada.
Humm... não tinha pensado nisso, mas seria interessante. Aí haveria motivo para deixar pro 5x02. Bom!!

Lee,

Você tem toda a razão. No Hannibal, a motivação era a vingança. Mas a semelhança entre a figura dos dois me chamou muita atenção também, até mesmo os nomes.
E quanto ao Snatch, você também tem razão. Belo método esse dos porcos. E belo filme!

Quanto à citação, você tem razão, mais uma vez. A conversa com o padre que você mencionou, foi no 4x17, entre Rossi e o padre amigo dele. Acho que a mensagem é a mesma! O padre diz que quando se dedica tanto tempo tentando compreender os piores monstros, você 'convida' o mal para dentro de sua vida. Você fica numa posição vulnerável. Acho que é muito próximo a 'olhar muito tempo para dentro do abismo', e o reflexo que isso pode ter...
Ou não?

Quanto à demora para escrever os comentários, mil descupas! Mas tenho andado muito corrida e, nesse sentido, estou feliz pela pausa na série. Quero voltar mais dedicada para a 5ª temporada.

Lee disse...

Que isso, Célia...desculpa por demorar um pouquinho? eu sou fã das suas observações sobre a série.Tão fã que até gostaria de ler os seus comentários sobre outras séries que assisto.Mas vc já disse que só comenta os que vc assiste ou gosta.
Mas, uma curiosidade, a série do Showtime, The tudors, me chocou muito mais com as atrocidades do Henrique VIII, do que Criminal Minds com os Foyets da vida,ou mesmo Dexter e Sons of anarchy, que são um primor de referências a ultraviolência.

lamiss ibrahim disse...


nice
http://www.kuwait.prokr.net/cleaning-conditioners/
http://www.kuwait.prokr.net/