segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

[Criminal Minds] 5x13 "Risky Business"


(por Celia Kfouri)


O caso da semana envolve mortes que aparentavam ser suicídios. JJ recebe o chamado lá de Wyoming e, além dos detalhes realmente suspeitos, valeu-se de motivações pessoais para convencer Hotch a investigar o caso.

Seguem-se inúmeras cenas exageradas e forçadas para mostrar que JJ tem alguma questão pessoal envolvendo suicídios. Colarzinho, caras e bocas, desvio de olhares, aff.



Coisa mais piegas esse papo do colar.


Mas lá vão eles e, no avião, ficamos sabendo que Garcia vai junto, para fazer o que ela melhor faz, esmiuçar computadores.

Lá chegando, JJ logo faz a primeira caca ('Se...') . Que ela é fraquinha, sabemos faz tempo. Agora, além de tudo, ela está abalada, então foi uma caca atrás da outra.

Mas o fato é que eles, que investigam a coincidência entre adolescentes encontrados mortos por enforcamento nos mesmos dias e horários, logo descobrem (Garcia descobre, pelo laptop de uma das vítimas), que estavam todos logados em um jogo que consiste em se auto-enforcar.

(Nao cheguei a ler nada do gênero, mas essa trama me parece inspirada em fatos reais, como CM já fez tantas outras vezes. Um caso real, que virou notícia, tempos depois inspira um episódio; às vezes até para esclarecer, educar, mostrar mais como as coisas são, etc.)

Gostei da cena em que Garcia mostra a Hotch que a ordem dele estava equivocada, e ele responde apenas "you're right, Garcia". E também de Reid e Morgan na sala de aula. Dois estilos opostos e complementares para lidar com os adolescentes.

Foi nessa classe que eles se depararam com o garoto 'gótico', e fica evidente que ele está de alguma forma envolvido com o que seria não mais suicídios mas sim mortes que decorreram desse jogo esdrúxulo.



O garoto e as marcas do abuso.

Levado à polícia, é com Penélope que o garoto estabelece uma relação mais próxima, mas seu pai chega e a entrevista termina.





Ela leva jeito pra tudo. Ou quase. (E até tricot no avião!)


Aí, de repente, em poucos minutos, a questão toda é decifrada de forma quase mirabolante. Juro que revi 2 ou 3 vezes esse trecho para entender como eles tinham 'esclarecido' tudo. Tantas deduções infalíveis...

Reid percebeu que eram duas as pessoas que postavam no blog; relembram a morte da mãe do menino, as marcas no corpo dele e dela, somam ao fato de o pai ser bombeiro que atende emergências e... voilà!

Descobrem o verdadeiro unsub (o pai!) e a síndrome de Munchausen por procuração (como teria morrido a mãe doo menino). Simples assim.

(quem tem Munchausen causa doenças em si para chamar atenção; quando a pessoa causa doença em outrem para chamar atenção para si, diz-se que é 'por procuração'. Isso muito resumidamente, claro. A questão é interessante e vale uma visita à wikipedia)

Sim, só isso. Então resta voltar para Washington e, no avião, Reid dá seu show particular, mais uma vez. A cara da Prentiss foi ótima!


E a cara de incredulidade do Reid, diante da 'bobagem' que ela estava dizendo, foi ainda melhor!

Ainda no avião, Hotch e JJ conversam, e ela fala mais um punhado de bobagens. (atriz e personagem fracas... complicado!)

É isso. Nem vou me alongar porque o episódio foi simples, sem dar margem a grandes comentários. Mas essa semana já tem mais, e me parece ser mais um episódio fora do padrão. Veremos!

(E também veremos Lost, em menos de 20hs!!)

Até o 5X14.

Celia.

www.twitter.com/celiakfouri




(Fotos: reprodução.)

6 comentários:

Mariana & Roberta disse...

Esta série é fantástica. Ideal para quem gosta de entrar na mente de um criminoso e perceber como estes encaram o mundo.

Descobrimos agora este blog, muito bom mesmo!! Vamos voltar mais vezes!!!

Grissom's Girl disse...

Pra mim a JJ é como um cachorro pequeno: fofinho, você vai chegando perto e, quando menos espera ele está agarrado à sua canela.
Ela é a bonitinha loirinha e meiga mas que quando precisa de algo esquece da ética profissional, esquece de tudo em favor de suas vontade.
E, vamos ser sinceras: esse era pra ser um episódio focado na JJ, mas quem roubou a cena brilhantemente foi a Garcia.
Como diria o Morgan: man, I love her!

Celia Kfouri disse...

Mariana e Roberta,

Sejam bem-vindas! E comentem sempre!

Grissom's Girl,

Isso mesmo. A Garcia é fantástica. E é cheia de carisma, encanta a todos. Roubou a cena mesmo, e o episódio acabou centrado nas falhas da JJ!

Gabriela Spinola disse...

Ninguém merece a JJ. Tipos, sério. O episódio foi uma cópia deslavada e sem-graça de "A Higher Power", mudando só o personagem central (que, antes, fora Prentiss e a atuação sempre boa de Paget Brewster, ao contrário da AJ Cook e sua JJ) e o motivo dos "suicídios".Foi uma tentativa frustrantement fracassada de combinar "A Higher Power" com "Demonology", só substituindo Emily por Jennifer.

Thanks, Ed Bernero, por perceber lá na 2ª temporada que a Kristen Vangsness devia fazer parte do elenco fixo.

http://criminalminds-br.blogspot.com/2010/01/risky-buiness.html

Celia Kfouri disse...

Oi, Gabriela!

Bom te ver por aqui!

Anônimo disse...

OÊ...!
Claro, claro... Pq a personagem que escolhe quem ela deixará morrer e quem ela vai TENTAR ajudar tem de ser super forte, né?! Pq seria mesmo supercondizente com a realidade se ela fosse super séria. Pq nem abala você mecher com isso. Claro, claro... Os comentários de vocês sobre a JJ fazem toooodo o sentido.
Principalmente psicologicamente falando.
EURI.



PS.: Não se encuquem por eu postar em anônimo. Encuquem com o meu comentário. risos...