terça-feira, 6 de maio de 2008

[CRIMINAL MINDS] 3x17 "In heat"


Well, well, well…


Episódio razoável, com muito boa vontade. O caso em si até teve seus momentos interessantes, mas o problema foi outro. É que eu não tenho mais tempo, nem idade, nem paciência para casinhos românticos em séries de tv que não têm nada de românticas! Meu tempo shipper mal durou as nove temporadas de Arquivo X, e olhe que lá se tratava de Mulder e Scully, que têm estirpe.

Mas, em se tratando de Criminal Minds e os agentes do BAU, façam-me o favor. Eu espero ver profilers decifrando criminal minds! Eu absolutamente não me importo se eles têm um relacionamento ou não, com quem, se é bom ou não (a menos que rendesse um bom unsub, como no encontro do Gideon no 2X23, um dos melhores episódios da série!). Eu quero que os personagens cuidem de sua vida pessoal nos dias de intervalo entre um episódio e outro. Tudo bem, eu sei que a atriz A. J. Cook está grávida (a JJ) e que logo aparecerá a barriga, e que teriam que justificar de algum modo. Mas eles que arrumassem uma licença para ela que para que fosse para a Áustria, ajudar a entender esses malucos que andam aparecendo por lá. Idem quanto à Penélope. Já sabemos que ela pode ser amada. Ponto. Chega desse Kevin.
Bobagem nº 1.
Em relação à JJ, só serviu para eu gostar um pouco menos dela e confirmar que ela é a mais fraquinha da equipe. Muito pretensiosa achar que enganaria a todos.
Bobagem nº 2.

Em relação ao episódio como um todo, aquela cena inicial absolutamente desnecessária, a canalhice machista de Morgan e Rossi ao chegarem a Miami, o clima entre Morgan e a detetive de lá... Pra quê isso??? Eu quero mais unsubs de meter medo e mais episódios inesquecíveis (que saudades do 1x03, quando Gideon ‘não se deixou enganar de novo’, do Fisher King, Frank, o garoto atormentado do 2x11, que sabe que se tornará um serial killer, o Floyd do 3x08,..).

Bom, depois do desabafo, o unsub da semana. Um homossexual com problemas em se aceitar, visto que seu pai tentou ‘endireitá-lo’ na base da surra. Muito terapêutico. Criou mais um celerado, que mata homossexuais e toma seus lugares, para continuar a matar.
A cena entre Hotch, Rossi e o pai do unsub foi interessante (Hotch sempre se destaca nesses confrontos). Morgan e Prentiss com a irmã dele, também.
Mais uma vítima atraída pelo unsub.
O unsub, quando capturado.
Hotch, frio e preciso.

Também achei que a tolerância de todos, em todos os momentos, em relação à homossexualidade foi muito bem-vinda (apesar de um pouco ideal demais). Principalmente do Will ao saber sobre o policial que tinha sido seu parceiro. Ainda há de chegar o dia em que as pessoas deixem de se sentir ofendidas ou atingidas pelas escolhas sexuais dos outros.

Enquanto isso, espero o dia em que CM me deixe aterrorizada de novo, com um grande caso e um grande unsub. E que isso não demore tanto quanto a homossexualidade deixar de ser um tabu.

Célia.
P.S. Desculpem a demora para postar o comentário. O feriado atrasou tudo. Essa semana já teremos 3x18; comentários na quinta!

3 comentários:

jackie disse...

Boas observações, parabéns!!!

Jackie (Comunidade Criminal Minds-Brasil)

Celia Kfouri disse...

Oi, Jackie!

Bom ver você participando aqui do blog. Avise a quem você conheça e que assita a CM também.

E já postei o texto do comentário lá na comunidade.

Juliana Correia disse...

Sou super viciada em Criminal Minds e por isso adoro o seu site, que é super preciso nas reviews.
Contudo, eu torço muuuuito por um casalzinho Hotch e Prentiss, porque mais do que os casos e suas resoluções, me interesso pelo lado mais humano dessas pessoas e me prendo no episódio por isso...
Continue com esse trabalho de reviews tão legal! parabens!