segunda-feira, 24 de novembro de 2008

[LOST] The Greatest Hits – Take 1

Acho que a essa altura, todo mundo já sabe que Lost estará de volta dia 21 de janeiro. Sim, numa quarta-feira e provavelmente concorrendo com o pesadelo American Idol. Na semana passada, a ABC divulgou o poster oficial da quinta temporada, além de alguns promos com cenas inéditas, mas que não revelam muita coisa. E não vou indicá-lo porque ninguém merece ouvir à nova música do The Fray...

A frase escolhida para divulgar a temporada é "Destiny Calls", que já sinaliza que a volta dos Oceanic Six será o principal tema e, provavelmente, terão de ser convencidos que todo os infortúnios são em razão de terem deixado a Ilha. Além disso, os dois grupos divididos sugere que as histórias serão contadas em paralelo, como na verdade temia. Agora é torcer para que eles consigam manter o ritmo enquanto focam nos acontecimentos de dentro e de fora da Ilha.

Já fazendo um aquecimento para a volta de Lost, os nossos parceiros do blog TeoriasLost resolveram eleger os 10 episódios essenciais da série. O desafio foi lançado pelo Leco e obviamente aceito, até porque não resisto à tentação de fazer listas. No meu caso, as escolhas são estritamente pessoais, às vezes pouco importando o valor para a trama como um todo, até porque na televisão também é importante saber inserir e desenvolver esses pequenos "anexos" à história. São escolhas como as de Charlie em Greatest Hits: episódios que levaria a uma ilha deserta, daria de presente num DVD ou que simplesmente desejo que as pessoas revejam. Fica como sugestão também duas listas de 15 melhores episódios, publicado pelo blog do Hal Incandenza na semana do final da temporada passada.

10. Greatest Hits
Acabei de citar e não poderia ficar de fora da lista. Embora Charlie não fosse um de meus personagens favoritos e até torcesse para que batesse logo as botas após as previsões de Desmond, esse episódio foi uma das melhores despedidas que já vi. Além da criatividade em utilizar o formato de flashbacks para fazer uma lista de melhores momentos de sua vida, Charlie despede-se dos próprios sobreviventes, que passaram tanto tempo ao seu lado. Cenas emocionantes, que são coroadas com sua escolha número um: o acidente de avião, que permitiu que ele chegasse até aquele momento de virar herói mais uma vez e conhecesse o amor de sua vida, Claire. Adorável, sem se tornar piegas.

9. Man of Science, Man of Faith
Make your own kind of music. Depois de todo o suspense deixado pelo final da primeira temporada (que denunciava que os produtores precisavam de mais um tempo para saber o que colocar dentro da escotilha), esse episódio já começa com o abrir de olhos de um novo personagem, que logo se tornaria o favorito de muita gente. Logo que a escotilha é aberta, surge mais um entrever entre Locke e Jack, que se estenderia pelo resto da temporada. O próprio Walt aparece no meio da floresta para dizer que o botão é ruim. E até o flashback de Jack é interessante, com ele decidindo por salvar Sarah e ainda encontrando Desmond, que revela ser o estranho dentro da estação.

8. Solitary
Essa escolha é completamente pessoal. Não sei se todos sabem, mas não sou fã do episódio "piloto" de Lost. Nunca cai nessa ladainha de novo trabalho de J.J. Abrams ou mesmo no hype que se formou durante seu lançamento (passando em dois canais a cabo no mesmo dia). Era muita pretensão para um episódio que falhava por não ser objetivo. Mas num belo dia, quando assisti a um torturador iraquiano que viveu um intenso dilema para salvar uma mulher (posteriormente seu grande amor), sendo capturado por uma francesa que dizia ter uma filha perdida pela Ilha, acabei finalmente fascinado. Então, para mim esse episódio é praticamente o "piloto" da série, além de ter sido a primeira vez que fizeram menção aos "Outros" e que ouvimos os sussurros pela floresta.

7. The Other 48 Days
Esse também é um episódio em que o formato de Lost é bem explorado, contando sob outro ponto de vista o acidente e os primeiros dias dos sobreviventes da "cauda" do avião. Tem pelo menos três cenas marcantes: Mr Eko quebrando seu silêncio, Ana-Lucia finalmente liberando suas angústias e chorando, e o confronto no topo da montanha entre Goodwin e ela.

6. The Man Behind the Curtain
Esse era o episódio que todos estavam esperando. A origem da Iniciativa DHARMA revelada sob as lentes de um dos mais fascinantes personagens: Ben Linus. Como a maioria dos mistérios de Lost, que quando são resolvidos geram outras dúvidas, ainda não temos noção exata de tudo que envolve os hostis (como o fato de Richard Alpert não envelhecer), mas pelo menos descobrimos as motivações de Ben para defender a Ilha. Além disso, temos a primeira visita à cabana de Jacob que, se às vezes serviu até de alívio cômico, mostra-se importante para o destino da Ilha e de seus sobreviventes.

5. Lockdown
Sempre considerei que essa trama da escotilha se estendeu demais, mas não dá para ignorar que tivemos episódios magistrais com ela envolvida. Esse é um dos exemplos, principalmente por alimentar uma discussão por meses sobre o mapa em uma de suas portas. O pai crápula de Locke também precisava ser lembrado e embora tivessem outros episódios com um flashback melhor (como o de "Deus Ex Machina"), nesse a história funciona perfeitamente por Locke ter de confiar também no misterioso Henry Gale. No final, descobrimos que essa é sua identidade falsa e ficamos sem saber se o botão é importante ou não.

4. Through the Looking Glass
É um divisor de águas na série com o flashforward de Jack. Também é a primeira vez que os roteiristas acertam o tom num episódio final, fechando grande parte das tramas da temporada e abrindo possibilidades enormes para a próxima. E o ritmo é excelente, tendo desde ação e aventura até o emocionante sacrifício de Charlie.

3. Walkabout
Tem de ser presença garantida em qualquer lista, simpatizando ou não com John Locke. Até porque é a primeira amostra que algo sobrenatural poderia estar se passando naquela Ilha. Escrito por David Fury, discípulo do mestre Joss Whedon e que também assina "Solitary" e "Numbers" nessa primeira temporada, o episódio já demonstra todo o potencial de Terry O'Quinn. Faço esforço às vezes até para lembrar minha surpresa quando vi Locke na cadeira de rodas pela primeira vez, ou a cara de encantamento com a cena final em que ele mexe os dedos do pé.

2. One of Us
Só o nome de Elizabeth Mitchell já seria o bastante para justificar essa escolha. Quem diria que uma personagem recém-incluída no elenco conseguiria levar um episódio praticamente sozinha. Todas as suas cenas são impressionantes, desde o confronto com Ben até toda a emoção com as imagens da irmã. E quando Juliet consegue convencer que está ao lado dos sobreviventes, a surpreendente cena final revela que ela enganou a todos o episódio inteiro.

1. The Constant
Escolha óbvia, porque não existe casal mais adorável do que Desmond e Penny atualmente. Muita gente acha o episódio confuso, mas acho que um dos méritos é exatamente dar sentido a essa viagem de Desmond sem rebolar para explicar com um embasamento científico. Tudo aconteceu para que Desmond e Penny se comunicassem no final, ultrapassando barreiras do tempo e do espaço. E isso já parece motivo mais do que suficiente.

E então, concordam? Discordam? Contribuam nos comentários com suas listas também.



e.fuzii

6 comentários:

Davi Cruz disse...

OK, sei que foi muito oba-oba em torno do PILOTO da série mas, aquela cena que mostra um Jack, ainda atordoado, saindo da floresta e dando de cara com o avião caído, simplesmente não pode ficar de fora de nenhuma lista.

abraço,

Hélio disse...

Eu juro que volto aqui com o meu top 10 (nem te respondi no orkut, pra variar, ô coisa feia!), mas deixa passar esta semana - a última de faculdade, gloria a deus aleluia.

Mas uns tres aí de sua lista nao entra nem a pau na minha. Pensarei com calma. Nao se brinca com listas como essa.

Abraços!

Celia Kfouri disse...

Belo trabalho, Fuzii!
Vou tentar aproveitar os dias de férias que se aproximam para rever episódios de Lost (a 5a temp se aproxima e eu preciso refrescar a memória). Talvez eu traga a minha lista.
Mas adianto que também sou fã de Solitary. Sayid e Rousseau estavam maravilhosos.

Danielle Mística disse...

Vou pensar com calma, mas concordo com vc na maioria dos que citou.

Leco Leite disse...

Lista bem interessante, gostei muito!

E não é tão fácil criar uma lista dessas, como disse o Hélio "Nao se brinca com listas como essa." hehehe

Mas é legal ver essa diferença de opiniões em relação a um episódio ou então sobre quais são mais interessantes...

Valeu, Fuzii... Abraço!

e.fuzii disse...

Parece ser fácil, mas limitar-se a escolher 10 é complicado. Tanto é que deixei nas entrelinhas pelo menos umas outras 4 escolhas...

Que bom que você concorda, Célia. Assim me sinto menos 'solitary'... purum-pum-tsh! :)

Esperarei a lista de vocês, e podem colocar como um post novo aqui no blog.