sábado, 6 de janeiro de 2007

[FILME] Rocky, Um lutador

Gente, eu acabo de ver Rocky, Um Lutador e adorei! Tinha falado com o Ribas que iria passar (ah,parece que ele ama esse filme), resolvi ver também...

Confesso que nunca fui simpática ao Stallone, aquela cara de bobão, com uma expressão única de tédio. E ele fez Rambo, eu desteto Rambo (ahh,já to vendo pessoas com ódio nesse momento,mas calma, vou reavaliar tudo).


Mas esse filme justifica o Oscar de melhor filme de 1976 (pois é, ganhou!), além das indicações por roteiro, escrito pelo Stallone (ora vejam só) e indicações a melhor ator(ele de novo!!!) e melhor atriz, como também os excepcionais coadjuvantes.

Ufá! Eu não sabia que esse filme tinha tantas credenciais.

A saga de Rocky é uma delícia. Tem todos os elementos para nos segurar. O cara é pobre, mas nem tão feioso(engraçado, o nariz, que ele tanto orgulha, é tão perfeitinho) e aquela boca torta do Stallone não está aparente, ou pelo menos, estava super dentro do contexto. Enfim, o cara é um loser, trabalha com um agiota cobrando as pessoas, mas tem um bom coração.

Adora bichinhos. Ele parece um cachorrinho, incapaz de guardar rancor do guarda costas chato do agiota que pega no seu pé. Mas na hora da fight, não tem história. É aquela fúria toda. A cena de boxer no frigorífico é uma beleza. Treinamento "natural" tem seu mérito.

Mas o que adorei mesmo no filme foram as cenas com a Adria, mocinha tímida, mas que não resiste aos bíceps do Rocky (alias, a cena em que ele, subitamente, sente calor num frio de não sei quantos graus, tudo para justificar estar sem camisa, é óóóótema!). Há também aquela coisa de duas pessoas estranhas ficarem juntas. Assim é Rocky e Adria. Claro, também há um machismo evidente, aquela coisa: mulher, vá fazer o bife.

Comparar Rocky, o garanhão italiano, alusão clara a sexualidade , com Apollo, o doutrinador, é covardia. Desde o ínicio a linha entre os dois é muito bem delimitada. Rocky não tem como vencer, mas terá a chance de lutar, terra das oportunidades e blá blá blá. Já Apollo é a própria esperteza personificada. Um cara que é um verdadeiro showman. O cara que vê a oportunidade. O filme inverte os papeis sociais, aqui, o negro não é o explorado. Mas sim o imigrante.

E a luta em si? Hmm, vibrei cada segundo, pulei aqui em casa, bati palmas e tentei assoviar, mas eu não sei. Dei gritinhos histéricos e gritei com Rocky por Adria. Liguei para o meu irmão na hora da luta, perguntei pq era necessário tanta adjetivação na hora de anunciar os lutadores. Claro que liguei na hora errada e ele disse que era típico de mulher fazer essas perguntas nesses momentos nos quais elas não são necessárias. Sim, ele é bem machista.

Fiquei encucada por terminar num empate. Eu acho que Rocky ganhou, mas meu julgamento não é grande coisa, afinal, a essa altura, eu já estava totalmente conquistada. E saí gritando: Rocky, Rocky, Rocky!!!

3 comentários:

Comentarista Allan disse...

Eu nunca assisti Rocky. Todos meus amigos que gostam de Rocky também gostam de Rambo, então nunca levei a sugestão deles de assistir esse filme a sério. rs
Mas se alguém que, assim como eu, detesta Rambo e nunca foi simpático ao Stallone gostou do filme, acho que então deve valer a pena assisti-lo.

Vinícius P. disse...

Puxa, assisti tantas vezes a esse filme que já perdi a conta (e também já enjoei). Pra mim não é nenhuma obra-prima, mas vale a pena pelo Stallone (até hoje seu melhor papel). Hahahaha, como vc disse, Rocky é mesmo um loser!

Comentarista Dani Mística disse...

Allan: Vê com fé! Vale sim :)
Vinicius: Deve ser a milésima vez que passa, mas nunca tinha visto :P