sexta-feira, 26 de janeiro de 2007

[Heroes] 1x12 - "Godsend"

Após um mês e meio da exibição de “Fallout”, Heroes retorna com este “Godsend”, que parece ser um episódio de preparação de terreno. É como se fosse um início de temporada, em que nada de muito empolgante ou revelador acontece, mas é essencial para avançar na trama, com detalhes que acrescentam mais dúvidas e interesse ao que está por vir.


O episódio tem início duas semanas depois dos eventos vistos em “Fallout”: Peter continua em coma após a visão que teve de que seria o responsável pela explosão em New York; ao contrário do que poderia parecer, Sylar continua mantido preso por Bennet; Niki/Jessica também continuam presas, mas temidas pelos guardas; Hiro e Ando chegam a New York à procura da espada samurai; Matt passa seus dias investigando Mr. Bennet; Claire mantêm encontros com o Haitiano; Isaac parece estar livre das drogas; e Mohinder... bom, Mohinder continua o mesmo inútil de sempre.


Peter permanece como o personagem mais enigmático da série, e este episódio só aumentou o mistério em torno dele. As visões continuaram durante o coma e o único acréscimo de informação na seqüência em que ele supostamente explode New York é o seu irmão Nathan pedindo para ajudá-lo e que estará com ele. E se Nathan agarrar Peter e disparar para o céu (tal como ele fez ao fugir de Bennet), evitando a explosão da cidade? Seria um sacrifício heróico de um personagem que não pretende ser um herói, mas tem demonstrado preocupação e amor pelo irmão. Os produtores da série estão anunciando que um protagonista irá morrer e essa opção não seria inviável. E se Ted não se machuca ao irradiar suas mãos, Peter também não iria se ferir com a explosão e poderia sobreviver à queda absorvendo o poder da Claire (que está no local da explosão, como todos os outros heroes). Enfim, é apenas uma suposição que sequer explica porque salvar a cheerleader é salvar o mundo.



Nathan seria capaz de se sacrificar para salvar New York?


Seja como for, demonstrou-se mais uma vez a capacidade premonitória do personagem, ao sonhar com o batedor de carteiras com o poder da invisibilidade. O mais novo personagem se chama Claude e, ao que tudo indica, é capaz de tornar invisível também tudo o que toca. O que não se explica é como o Peter conseguiu enxergá-lo. Será que Claude não consegue ficar invisível para aqueles que têm superpoderes ou seria mais uma capacidade sobrenatural de Peter? Espero que um dia as explicações surjam e sejam coerentes para explicar como funciona o dom de Peter.



Claude: o homem invisível.


E falando em dom, o título do episódio refere-se ao significado do símbolo da organização do Mr. Bennet, que também está cravado na espada de samurai encontrada por Hiro. Atribuir os poderes dos heroes a um dom enviado por Deus traz um interessante aspecto religioso à série, aspecto este também citado pelo Haitiano. Seria a organização,para a qual Mr. Bennet trabalha, uma seita religiosa? Até o momento não aparenta ser, mas daria margem para muita coisa.


Hiro descobre que a espada que ele tenta desesperadamente roubar (por que, afinal, ele tem dificuldades em usar seu poder?) é na verdade uma réplica e que a peça original está em posse de Linderman. Aí está um personagem que é citado constantemente na série, mas que ainda não deu o ar de sua graça. Neste episódio fica claro que Linderman é fundamental na trama. Ele não só pretende chantagear Nathan para obter ganhos políticos, mas também cobrará favores de D.L., além de colecionar os quadros pintados por Isaac e possuir a espada que Hiro tanto almeja. É bom lembrar também que Bennet teve fácil acesso ao quarto de hotel em que Nathan e Niki dormiram juntos, o que traz uma possível ligação entre ele e Linderman. Mas qual seria essa ligação? Talvez Linderman seja o chefe da Organização que tenta recrutar os heroes, já que sabemos que Bennet recebe ordens superiores.



Hiro, Ando e a espada enviada por Deus.


Niki/Jessica também foram bem exploradas pelo episódio. Gostei da primeira seqüência em que mostra a personagem na prisão duas semanas depois de se entregar e os guardas com medo de se aproximarem dela, sendo que um deles estava com os olhos roxos e nariz quebrado. A forma como ambas brigam para dominar o corpo é um belo trabalho de atuação da atriz Ali Larter. Só fiquei com dúvida no momento em que Niki/Jessica se defendem do guarda, quebrando o cacetete: quem fez aquilo foi Jessica ou Niki? A cena comprova que a personagem tem superforça, mas as duas personalidades teriam esse dom? E por que Jessica, com seu poder, ainda não fugiu da prisão? Seja como for, isso acontecerá em breve, como mostra aquele belo final “Para que Deus se você tem a mim?”, mais uma vez tocando no elemento “Deus” na série.



Quem é esta da foto acima: Jessica ou Niki?


Do lado negativo, “Heroes” ainda traz algumas falhas bobas. Me incomoda, por exemplo, que Matt ainda não tenha percebido que o Haitiano seja o responsável para que ele não consiga ler os pensamentos de Bennet. Da mesma forma me parece forçado e inverossímil que sua parceira do FBI duvide de seu poder, depois de várias demonstrações. Também é estranho que Niki/Jessica estejam numa prisão comum e que os guardas não tomaram resoluções mais drásticas diante de uma mulher com habilidades sobrenaturais. Enfim, são detalhes, mas que não chegam a comprometer o todo. Espero também que expliquem como Bennet deteve Sylar, após a morte de Eden. Se Sylar foi capaz de não ser afetado pelo poder de persuasão da Eden (provavelmente por já saber como sua mente funciona), ele também seria capaz de "driblar" o bloqueio do Haitiano. Ou não? Ou o Bennet conseguiu de outra forma? É algo que eu gostaria muito de saber.


Episódio bom, com ritmo lento e sem pressa, trazendo elementos que preparam o terreno para o clímax futuro. Nota: 8,0.


No próximo episódio: Peter tenta se aliar a Claude; Micah revela alguns de seus segredos para D.L.; Ted conhece uma nova heroe; e Claire recebe uma inesperada chamada telefônica.



Hélio

2 comentários:

Túlio Moreira disse...

Putz, cult até mandar parar..

Mi do Carmo disse...

Eu queria mesmo saber como os poderes de Peter funcionam. E acho, sinceramente, pela minha intuição de que quem morre é Nathan...ou Sylar? Seia crueldade com um personagem tão enigmático. Na verdade, se não fosse criança eu matava Micah (sou que nem Spilberg, não mato crianças), mas ele poderia se juntar com Walt em alguma ilha perdida e não voltar nunca mais.

Não gostei dessa história de Deus. Foi muito inesperado. No entanto só tem uma explicação mesmo para algumas pessoas no mundo terem super poderes: a força divina na genética humana.

Gosto de Linderman escondido e também acho que ele vai se desvendar como o grande vilão da história.

Matt é meio devagar mesmo, igual era Eric Weiss. Acho que combina com o ator, rs.

Puxa, Micah revela segredos! vamos deixar Walt sozinho na ilha!?

Tirando as minhas brincadeiras, gostei do texto, muito.

Beijos honey.