sábado, 19 de abril de 2008

[CRIMINAL MINDS] 3x16 "Elephant's Memory"





O episódio da semana foi muito bom!

Focado no Dr Reid, a série explora o seu grande diferencial, e só podia resultar em um episódio acima da média. O ator interpreta com muita competência um personagem e tanto. Decisivo em muitos momentos de crise, tragicômico por si só, muito complexo emocionalmente, com uma história de vida tocante (e cujos relatos renderam alguns dos melhores momentos da série), Spencer Reid é um personagem que me comove.



Dr Spencer Reid


O unsub da semana é um garoto cuja mãe (alcoólatra) morreu precocemente num acidente. O pai, um policial que teve de abandonar sua carreira como marine para poder cuidar dele, culpava o filho por isso e abusava emocionalmente dele (incompreensivo, autoritário ao extremo). Na escola, apesar de brilhante, tinha alguns problemas de aprendizado em algumas matérias, era ruim em esportes e, hostilizado por muitos. Uma vítima de bullying − essas histórias da crueldade que jovens e crianças são capazes de fazer com alguns colegas.
Apegou-se a uma garota e, por ela, surtou. Saiu matando todos os que já tinham sido causadores de sofrimento para ele e para ela.



O unsub da semana, Owen Savage, num momento de carinho.


Cada um lida com seus problemas como pode. Nem todos dão conta das dificuldades que a vida apresenta. As histórias de vida do unsub e do Reid são muito parecidas. E, pelo que se vê, tiveram desdobramentos muito diferentes. Um entrou num surto criminoso, o outro obteve dois graus como PhD já com 21 anos, e faz perfil de criminosos na elite do FBI, a BAU. Mas será que as diferenças são tão nítidas assim?

O episódio da semana começa mostrando Reid numa reunião de um grupo de ajuda mútua, formado por policiais com problemas com drogas. Começou aí uma grande demonstração de respeito para com público pois a série retomou e esclareceu tudo o que vinha acontecendo com Reid desde o Revelations (o brilhante 2x15!). Mostrou que ele se tornou usuário de dilaudid (derivado de morfina, mais precisamente cloridrato de hidromorfona) e que estava limpo há dez meses. Mostrou também que, no último mês, ele vinha sentindo muita necessidade de usar a droga novamente, desde que um garoto foi morto na sua frente. A cena nao lhe saía da cabeça (retomaram, aqui, o 3x12, em que Reid tenta, mas falha em dissuadir o pai da vítima de matar o unsub). E confirmou de onde vinha todo o conhecimento que ele demonstrou, no ep anterior, sobre esses grupos tipo AA, NA, etc.



Reid na reunião dos 'clean cops'.


Com essa introdução, o episódio passa a mostrar a identificação de Reid com o unsub, e seu desespero para salvá-lo. A cena entre Reid e Morgan, quando Reid confessa a ele um terrível episódio de bullying do qual foi vítima, os horrores aos quais colegas de escola (ele devia ter uns 10 anos já que terminou high school com 12!) fizeram com que ele se submetesse, a brutal humilhação, foi de ficar com lágrimas nos olhos. Ainda mais quando ele conta que, ao conseguir chegar em casa, deparou-se com a mãe em pleno surto esquizofrênico, sem condições de entender que havia acontecido com ele.




Reid e Morgan numa bela cena.


Ele entende e quase justifica as reações e as atitudes do unsub, dado tudo que havia sido feito para ele, e culpa o pai, professores e colegas, principalmente por não terem antevisto a tragédia que estava por vir. Ele afirma que eles poderiam ter evitado.

Para o público, ele parece dizer ‘poderia ter sido assim comigo; eu poderia ter ido por esse caminho; se vocês simpatizam comigo, tentem compreendê-lo’. Para o esclarecimento do caso, essa identidade entre os dois é fundamental. Reid antevê os passos do unsub porque ‘é assim que eu agiria’, ele diz.




Owen se rende...

...diante dos argumentos de Reid.


Nem dou ouvidos para aqueles que acham que ele deveria ter sido suspenso ou demitido pois, afinal, colocou a segurança de todos em risco. Eu não sou da Corregedoria! Deixo a análise fria de lado para ficar com a sensibilidade do personagem. E a solidariedade do grupo em relação a ele.

Para encerrar, muito bom o título, extraído de uma frase de Morgan concordando com Reid. “Nós esquecemos metade do que nos ensinam na escola, mas para os tormentos e as pessoas que os causaram, temos memória de elefante.”

Semana que vem tem rerun. Daqui a duas comentamos o 3x17.


Célia.

2 comentários:

jackie disse...

Muito bons seus comentários, li os que escreveu sobre o Criminal Minds e adorei!

No 3x15 "A higher power" vc fala que gosta mais da Prentiss do que da JJ, eu tb!!! Acho, que a Prentiss é mais ativa, mais adulta do que JJ. A JJ parece mais frágil, mais menina talvez pelo fato da sua função, que é manter a comunicação entre a equipe do BAU e a Imprensa.

No mais é só. Vc está de Parabéns!

Celia Kfouri disse...

Bem-vinda, Jackie.

Que bom que você gostou. Procuro fazer o melhor porque acho que a série realmente merece. E quanto mais pessoas que curtam e acompanhem CM para comentar depois, melhor!
Divulgue para mais pessoas que você conheça que gostem também.
E espero você aqui no 3x17!