terça-feira, 7 de outubro de 2008

[FNL] 3x01 I Knew You When

Estão todos prontos para as partidas de sexta-feira?
Depois de passar muito perto do cancelamento, Friday Night Lights está de volta com o auxílio de uma parceria entre a NBC e a DirecTV. Com a temporada garantida e, assim, sem depender tanto dos níveis de audiência, a série volta para apagar todas aquelas histórias mal contadas do ano passado. Ou até melhor, simplesmente varrendo toda aquela sujeira para debaixo do tapete. Não tivemos nenhuma menção ao assassinato, à garota latina ou nem mesmo a Santiago. Nesse recomeço, descobrimos através de uma entrevista coletiva de Coach Taylor que, mesmo passando para os play-offs, a equipe acabou perdendo com a ausência de Smash, contudido no joelho. O próprio trabalho do técnico foi questionado por montar a equipe baseando-se nas características de um só jogador, e agora ele busca seu reconhecimento novamente. Além dele, mais dois personagens buscam superação no início dessa temporada, após suas rendenções durante a série.
Com tantas decepções nos últimos tempos, Brian Williams ameaça jogar a toalha e largar de vez o futebol. Numa cena bastante comovente, ele diz para Coach Taylor que Smash já é coisa do passado e na sua própria maneira de vestir-se e falar, Brian parece bem mais maduro e longe daquele jogador que beirava a arrogância. Antes de sair da série -- ele deve ter uma curta participação, assim como Streets -- Coach Taylor ainda não deixará que ele desista de seu sonho de sair de Dillon de cabeça em pé. Sair de Dillon também sempre foi o desejo de Tyra e aqui ela também quase decide desistir. É sempre interessante quando os roteiristas percebem pequenos vacilos dentro de sua própria história e resolvem por fim incorporá-los. Até porque seria simples demais Tyra, depois de toda sua vadiagem na primeira temporada, conseguir uma vaga numa faculdade tão concorrida. Mas foi só quando ela presenciou o pedido de casamento de Billy para sua irmã que decidiu que não podia ficar naquele marasmo. Ela pede ajuda a Tami Taylor, agora no papel de diretora do colégio, repetindo a boa dinâmica entre as duas. Ainda ao seu lado também está Landry, que segundo ela estão separados (já ele acredita que "só estão dando um tempo"), mas pelo menos bem longe da ridícula historinha da temporada passada.
Já em relação a Tami Taylor, não sei ainda o que esperar dessa sua nova posição. Embora será ótimo ver Connie Britton contracenar com Brad Leeland, não sei até que ponto pode ser interessante tratar do corte de gastos e do remanejamento de professores. Ainda mais sacrificando o departamento de futebol, como ela sugeriu ao usar o dinheiro que seria destinado ao telão dos Panthers. A única personagem que ainda está um pouco longe do futebol é Julie, que só pensa em reorganizar seus planos de aula para começar a trabalhar. Mas já é um alívio ela mostrar-se bem diferente daquela postura irritante de até pouco tempo atrás. Até Lyla voltou assumindo seu romance com Tim Riggins. Era uma coisa tão óbvia ela disputar a atenção com as Maria-Chuteiras, que nem sei o porquê de não terem pensado nisso antes. E ela deve servir de motivação para Riggins tomar uma postura mais séria, tanto é que sua boa partida é resultado direto dela dizer que ele não consegue "levar a vida a sério".

Nessa primeira partida já acompanhamos uma verdadeira lavada, com destaque para um longo lançamento de J.D. McCoy para pontuar. Gostei que colocaram o novato só no final, num jogo já ganho, para evitar uma certa previsibilidade e maior comoção. Mas jogando sob constante pressão de J.D. McCoy, que teve uma ótima passagem pela categoria de base e chega a ser comparado com Streets, é óbvio que Matt Saracen terá grandes problemas durante a temporada. Ainda mais porque o Sr. McCoy sabe do potencial do filho e tenta cercar Coach Taylor com todos os esforços, chegando até a ser cruel ao dizer que Saracen tem um braço medíocre. Essa é a trama que confesso estar mais interessado, já que o desenvolvimento de J.D. vai sempre de encontro com nossa simpatia por Matt.

Assim, trazendo a história de volta aos eixos, essa tem tudo para ser uma excelente temporada para Friday Night Lights. Confesso até que essa é a série que estou mais ansioso pelos próximos episódios.

Update 8/10
Play of the Week:
Esse episódio acabou abrindo tantas pontas que o texto ficou maior do que gostaria. Pretendia ser menos prolixo nos meus comentários da série a partir de agora, por isso decidi abandonar o formato antigo, numerado, que às vezes acabava confundindo mais do que explicando. Mas vou abrir sempre esse tópico para colocar a cena mais marcante do episódio, aquela que faz Friday Night Lights ir além das séries convencionais. Nessa semana, foi o belo plano geral quando Coach Taylor está marcando os tempos de Smash. Quando a cena termina, o corte é atrasado e Coach Taylor manda Smash voltar para recolher os cones. Genial.



e.fuzii

Um comentário:

Davi Cruz disse...

Já estou fazendo o download... Depois que assistir, dou uma passada aqui, pois seus comentários me deixaram empolgado!