domingo, 28 de outubro de 2007

[FNL] 2x04 Backfire

Jason e Tim dirigem-se para a viagem de suas vidas. Tá, nem tanto, mas essa pode ser a chance de Jason voltar a andar e os dois voltarem a ser bons amigos. Já em Dillon, Lyla continua sua cruzada católica, agora prestando serviços numa prisão. Ela tenta auxiliar um garoto que acaba de ganhar sua condicional, arrumando um emprego com seus pais. Buddy Garrity tenta ajudar, mesmo que o time esteja exigindo demais dele. Num golpe muito bem aplicado, Buddy demite MacGregor e consegue trazer Coach Taylor de volta aos Panthers. Ainda bem, porque sua presença já parece resolver o entrave entre Tami e Julie. Só falta agora arrumar os conflitos dentro do time.
5. Crazy Christian. Primeiro descobrimos o quão despreparada Lyla é para ser uma cristã devota. Porque vai dizer que aquelas perguntas, sobre guerra por exemplo, eram realmente tão difíceis de serem respondidas? Já a carona para o jovem na condicional foi duro de engolir. Dá pra entender que por sua imensa misericórdia ela queira ajudar o rapaz, mas tentaram simplificar a história demais, já o colocando como um caso perdido. Ele poderia ter sido melhor introduzido, mostrando um pouco de seu drama para depois conseguir ganhar nossa compaixão também.
4. Caindo na real. Julie aprendendo a dirigir enquanto discutia sua vida amorosa com Coach Taylor foi engraçadíssimo. Mas foi só com Julie e Tami no mesmo carro que a família Taylor voltou aos eixos. Claro, ainda falta discutir esse insuportável ciúme de Julie, mas pelo menos o Sueco parece já ser passado. Até porque a visita à casa dele foi absolutamente constrangedora. Achava que Julie deveria ter mantido-se firme apenas e, junto do espectador, analisar onde ela estava pisando (até pela sua teimosia durante esse começo de temporada) para só depois desabar em choro quando chegasse em casa. E veja só que foi apenas tirando Julie do castigo que ela pode tomar essa decisão, mais um ponto para a volta de Coach Taylor.
3. Os vilões sempre voltam. Minhas expectativas de que seria difícil tirar MacGregor do cargo, foram por terra com a manobra mágica de Buddy Garrity a frente do comitê. Embora como todo mundo também queria ver Coach Taylor de volta ao comando dos Panthers, achei uma tremenda sacanagem demitir o cara com apenas 2 jogos. Se realmente não estava agradando a forma como o técnico treinava o time, ou como isso afetou os jogadores, ainda havia tempo de mudar, sem precisar tomar uma decisão drástica dessas. No final, acabei até entendendo o lado de MacGregor ao confrontar Coach Taylor. Pronto, já temos o "Voodoo" da temporada que enfrentará os Panthers numa das fases finais.
2. CSI: Dillon. Era questão de tempo para encontrarem o corpo, e essas ceninhas em que parece que eles serão pegos a qualquer momento já estão cansando. Imagino que o que o policial se referiu ao "fechar o caso" fosse a denúncia de Tyra. As investigação devem prosseguir, infelizmente. E esse dilema de continuar guardando o segredo não evolui de jeito nenhum. Agora Landry simplesmente está paranóico pensando que todo mundo já está sabendo do segredo (embora o sermão do padre foi meio assustador, né?), mas adivinhe só quem mais sabe do segredo? Todos nós. E assim como Landry e Tyra, que não tem escolha a não ser continuar nesse caminho, os roteiristas não dão outra opção além de nos manterem como cúmplices.
1. "Sing it, Six!" Bom, então Jason vai mesmo fazer uma cirurgia que envolve médicos que marcam consultas e vão viajar com a família, proibições da FDA e o uso de fluídos de tubarão. É, Tim Riggins consegue explicar melhor e de forma mais resumida: "J is gonna die!". Nem vou entrar nos méritos de como Jason conseguiu esses 10 mil dólares para fazer a cirurgia (e os dois conversando na cena do hotel pareciam até dois ladrões fugitivos). Mas ele parece ter total confiança com essa ligeira melhora da mobilidade das suas mãos. A visita ao México trouxe bons momentos para os dois amigos, e uma atuação perfeita de Taylor Kitsch. Principalmente na cena do karaoke, quando tudo passa de celebração e alegria (os mexicanos amam os americanos, né?) para o discurso otimista de Jason, e a expressão facial de Tim subitamente mudando para um tom de preocupação com o amigo. E com Tim pedindo ajuda de Lyla (já que ele não é especialista na arte de falar), retornamos ao triângulo da primeira temporada.



e.fuzii

Um comentário:

Edilmo disse...

Oi galera eu tb sou mais um fã da serie friday night light assiti a primeira temporada inteira e gostei.O site que pego os episodios nao tem todos da segunda temporada eu nao tenho os episodios 1,4,5,6,7,9,10 a metade dos 15 por isso estou pedindo a vcs que tb são fãs que me ajude a achar estes episodios.
obrigado!!!!!
edilmo.19@uol.com.br
se vcs souberem de alguma coisa me avise...