quarta-feira, 21 de outubro de 2009

[Dexter] 4.04 - Dex Takes a Holiday

Não quero perdê-los**


Por Danielle M


O que dizer de um episódio espetacular? Nada menos que isso. Dexter em toda sua forma. Letal, frio, controlador, cool e metódico. Dex em estado puro, minha gente!

E para chegar neste momento de clareza e de retorno aos bons velhos tempos da 1a temporada, tudo que ele precisava era de um descanso longe da família.

Não sei por onde começar, tudo foi relevante , até Angel e LaGuerta, responsáveis pelas hilárias cenas sitcom da semana. O detetive marrento Quinn também teve sua cena bacaninha. Salvou todo mundo! Continuo enxergando - e destacando - o clima 1a temporada desta season.

No começo do episódio, Dex completa frases com suas deliciosas observações em pensamento. Coisa que fazia muito nas temporadas anteriores (sobretudo 1a e 2a) e ajudava a gente a entender o quanto ele procurava a conexão com as pessoas e compreender situações do dia a dia. Um dos melhores exemplos é a impagável cena da caneca pintada pelas crianças e a cara de Dex não sabendo muito bem o que fazer com ela.

Também volto a bater na tecla da evolução do personagem, antes um cara solitário, ensaiando uma aproximação artificial com as pessoas. Agora ele é um pai de família que luta para manter-se próximo e presente para Rita, as crianças e Debra. E ainda com este lado camarada, LaGuerta e Angel pegam o pai do ano para conselheiro amoroso. Rá! Angel sempre gostou de Dex, seu "sócio" e adorava conversar com ele , para seu desespero. Olha como as coisas são, antes o máximo de conexão que Dexter conseguia era uma caixa de donuts para o povo da delegacia.

Takes a Holiday traz um dos casos mais interessantes de toda a série até então. A própria escolha de Dex é intrigante - sempre preferiu párias da sociedade, gente que matava muito, com requintes de crueldade - Mas Zoey é diferente, "um monstro" com distintivo, alguém que deveria proteger e acaba matando sua família, incluindo sua filhinha. Seria Zoey o seu espelho às avessas? Como a policial é cruel, mata por um motivo egoísta ("não conseguia respirar") a gente retorna aquela sensação estranha, bizarra e muito agradável de torcer para que Dex dê logo um jeito na moça.

Essa justificativa de Zoey, de querer ser livre é algo que não aceito. Se tem uma coisa que assassinos não tem é liberdade. São presos a métodos, motivos, rituais e a um constante sentimento de inadequação. E isso é ser livre? Dexter procura entender suas vítimas, mas em relação à policial foi de uma complexidade e com detalhes engenhosos. A discussão entre eles sobre o tipo de pai e pessoa que ele é rendeu uma cena maravilhosa. Quando Dex percebe quem é agora e o que sua família representa, replica à Zoey num tom emocionado e de arrepiar : "Não quero perdê-los". Este é o novo Dexter, este é o tipo de pai que ele é - assassino, com um código, o código Harry - este sempre foi o seu diferencial.

Que tipo de pai você é? Do tipo que não mata a família **


Ainda sobre a suposta liberdade de matar, introduzo aqui o grande Trinity, mais uma nuance de sua personalidade é revelada. O solitário assassino é um homem atormentado e preso aos seus rituais, a sua memória, a sua história que, ao que parece, é trágica. Todo confronto com suas vítimas ele fala sobre culpa. Invariavelmente é culpa deles. Porque ele precisa que se estabeleça isso? Este é um homem que precisa matar. Não vejo prisão maior.

O encontro entre Trinity e Lundy era até previsível, mas segurei o ar. Foi assustador. Além de uma aula sobre serial killers. O encontro entre dois homens que se respeitam e entendem a importância deste momento, uma clara alusão que caça e caçador podem mudar de posição e também do matador que deseja ser pego, ser descoberto de alguma forma.

This is my way**

Mas Lundy não o pega e este episódio termina com um gancho inacreditável ; a morte do agente aposentado. Apesar de Debra também ser atingida, ela não era o alvo, acredito que sobreviverá. Isto antecipa muita coisa, é óbvio que Dexter entra definitivamente na procura por Trinity. Cabe a Dex procurar o que há por trás dos delírios e tormentos deste assassino.

Agora é com você, Dexter!

Cenas sitcom da semana em Dexter :)

-Angel e Dex, numa conversa íntima - 1-> Angel :Canecas pintadas? Dexter: É uma metáfora. Angel: Metáfora do que? 2-> Angel: Te manterei informado, sócio.
-Dex e LaGuerta: LG: Você está ficando bom nesta coisa de relacionamentos.
-A cara de satisfação pessoal de Trinity ao ver a foto de Lundy no jornal.
-Rita e Dex sobre a caneca pintada quebrada: As crianças vão ficar felizes em lhe fazer uma nova. E Dex sorri.
- Dex com Zoey, em sua casa, quando ela pega um brinquedo: A primeira cosia que farei é cortar aquela mão.
- Dex e Zoey no derradeiro momento: O que você tem com estupro? Ninguém aqui vai estuprá-la

**Fotos: Reprodução.


/@danna_

2 comentários:

Lee disse...

Convenhamos que até agora, Dexter tinha mostrado muito pouco interesse no Trinity.O incrível é que Dexter, mesmo sendo um mero "rato de laboratório" é melhor investigador do que todo o esquadrão sob o comando de LaGuerta, e indentifica o seu alvo facilmente.Se alguém pode chegar ao Trinity rapidamente, é ele.
O que acho incrível é que o episódio teve tantas cenas importantes, interessantes,como as que você mencionou acima, e tudo o que o pessoal discute nos foruns de orkut, é quem atirou no Lundy e Debra, só dá isso.Mas, pelo que vi na promo do próximo episódio, alguma coisa muito séria vai acontecer, algo realmente impactante.
Bom, Danielle, para um fã da série foi muito prazeroso ler esse texto seu comentando o epi...tão gostoso que li exatamente três vezes.Thank you.

danielle m (danna) disse...

Opa, Lee. Muito obrigada! Acho que uma série tão bacana como Dexter facilita a nossa vida na hora de comentar!
Concordo com vc, tanta coisa interessante neste episódio!