sexta-feira, 16 de outubro de 2009

[Dollhouse] 2x03 Belle Chose

por Anita Boeira

Esse último episódio de dollhouse me deixou meio perturbada...

Na missão de Echo essa semana, ela é Kiki, uma estudante não muito inteligente que ao receber um F no seu trabalho de literatura, vai atrás do professor para entender o porque da nota tão baixa... claro que ele é o cliente com a fantasia de romancear uma de suas alunas...

Enquanto Kiki se diverte, Paul é chamado para interrogar o Victor (na sua melhor atuação na série até agora, I think!), que recebeu as memórias de um serial killer que foi atropelado e está em coma. O tio do assassino é um investidor da Dollhouse, então eles trazem o guri de volta para ajudar a achar as mulheres que ele sequestrou. Mas o tio não fica muito contente com o jeito que o Paul lida com a situação, e cria uma distração para ajudar Victor (com as memorias do sobrinho, já que o original continua num coma) a fugir. Tudo na ingenuidade de que o sobrinho vai levar o tio até aonde as mulheres estão escondidas para que ele possa as liberar (e subornar para ficarem quietas) e ficar tudo bem.

Mas o Victor/Sobrinho não é imbecil, ele ataca o tio e foge. Quando Adele descobre que Victor está solto por Los Angeles, com a personalidade de um serial killer, e ainda por cima sem o GPS instalado, ela não fica nada contente. Paul vai atrás de Victor, e no meio tempo Adele manda Topher dar um jeito de fazer o procedimento de apagar as memórias a distância (Epitaph One clue anyone?). Mas claro, Topher sendo Topher apesar de ele conseguir realizar o procedimento a distância, algo da errado. Ao invés de apagar as memórias do Victor, ele acaba trocando as personalidades de Echo e Victor. Echo agora é o serial killer e Victor é Kiki, dançando loucamente noite a fora. Paul primeiro resgata Victor, e depois vai atrás de Echo/Sobrinho.


Echo está no lugar onde o sobrinho tinha preso suas vítimas. E apesar de atacar as moça, Echo começa a ter curto circuitos e consegue separar a mente do serial killer da mente dela. E diz para as mulheres que a única solução é matar o cara - ou seja, Echo. Mas Paul chega no último minuto e salva Echo de ser assassinada. De volta a Dollhouse, e já de mente apagada, Echo vê o sobrinho, ainda em coma. E antes de cortarem para os créditos finais, quando Echo está sozinha olhando para o sobrinho em coma, ela larga um "My Goodness!" bem do jeitinho que o serial killer falava...

Hm.. A gente já sabe que a mente da Echo está cheia de sobras das outras memórias implantadas nela.. Será que a personalidade de serial killer vai ressurgir em outro momento da série? E também vimos as primeiras tentativas de Topher de fazer o procedimento de implantar e/ou apagar memórias sem fio. Ah, e antes que eu me esqueça, também vemos Paul começando a ter uma "quedinha" pela Echo (para quem viu Epitaph One, dão a entender que os dois ficam juntos no final). Enfim, bom episódio, mas perturbador. Também interessante para começar a ligar os pontinhos de como as coisas chegaram aonde chegaram no Epitaph One.

PS. Cute outfits! A Fox anda caprichando no figurino de suas séries, para o meu deleite. Adele está sempre impecável. Até a Echo com seus figurinos de fantasia sexual dão pro gasto (adoreeeei a jaqueta).

PS2. Meu figurino favorito ever é Sierra no 1x09 usando um sapato com ziper atrás que eu passei SEMANAS procurando na internet quem era o fabricante - sem sucesso.

site: anitaboeira.net
twitter: twitter.com/anitaefrango


Fotos: http://pix.elizamedia.org/

Um comentário:

Rafael S disse...

Melhor episódio dentre esses três primeiros. O legal da fórmula de Dollhouse é que cada missão dá flexibilidade para os roteiristas desenvolverem muita coisa, e aqui, ao imprimirem a mente de um serial killer em Victor, criaram uma ótima trama.

Etranhei no começo a trama de Echo ser tão desligada da principal, mas quando acontece aquela "pequena" complicação, o episódio ganha em tensão e humor (a impágavel interpretação do Enver Gjokaj como Kiki).

E tivemos mais um reencontro Battlestar Galactica, agora o Tahmoh Penikett com o Michael Hogan.